clique para ir para a página principal

China libera insumos para produção de mais de 8,7 milhões de doses da CoronaVac no Brasil

Atualizado em -

China libera insumos para produção de mais de 8,7 milhões de doses da CoronaVac no Brasil Wang Zhao/AFP
► Bolsonaro afirma que China liberou exportação de insumos da CoronaVac► Vacina da Johnson tem eficácia de 66% contra casos moderados e graves da Covid-19

Nesta segunda-feira (1º), o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), informou que o governo chinês liberou a exportação de 5,6 mil litros de insumos para o Brasil. A chegada desses produtos vai permitir a produção de 8,7 milhões de novas doses da CoronaVac, vacina do laboratório Sinovac.

Em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, o governador afirmou que os insumos devem chegar no país até o dia 10 de fevereiro. Ele também confirmou que na próxima quarta-feira (3) chega ao Brasil um lote de 5,4 mil litros de insumos, que permitirá que 8,6 milhões de doses sejam produzidas.

“Acabamos de receber a informação de que o governo da China liberou a exportação de mais 5.600 litros dos insumos da vacina do Butantan. Portanto, com isso, teremos mais 8,7 milhões de vacinas em São Paulo com a chegada prevista até o dia 10 de fevereiro”, acrescentou.

Segundo o presidente do Butantan, Dimas Covas, que também estava na entrevista, os dois lotes vão permitir que 17,3 milhões de doses da CoronaVac sejam entregues ao Programa Nacional de Imunização (PNI) do Ministério da Saúde. O contrato firmado entre Butantan e o Ministério da Saúde estima a entrega de 46 milhões de doses da vacina ao PNI até abril.

Na última semana, o instituto e a pasta afirmaram que será assinado outro contrato entre as partes. Neste acordo, o ministério vai comprar mais 54 milhões de doses, totalizando 100 milhões.

“Já temos um outro pedido em andamento, de 8 mil litros de matéria-prima adicionais a esse que foi autorizado hoje. A produção com esse quantitativo de matéria-prima prosseguirá muito rapidamente até a integralização dos 46 milhões. E, na sequência, vamos tratar dos 54 milhões, que já devemos ter um cronograma nesta semana, assim que o contrato com o Ministério da Saúde for assinado”, disse Dimas Covas.

Relacionados:

► Bolsonaro afirma que China liberou exportação de insumos da CoronaVac► Vacina da Johnson tem eficácia de 66% contra casos moderados e graves da Covid-19

Leia mais: