clique para ir para a página principal

Com altas no dólar e commodities, mineração cresce 36% no faturamento e atinge R$ 209 bi

Atualizado em -

Com altas no dólar e commodities, mineração cresce 36% no faturamento e atinge R$ 209 bi Vale | Divulgação
► Mineração fatura R$ 50 bi no trimestre e projeta crescimento no pós-pandemia► Vale e governo de Minas não chegam a acordo sobre indenização por Brumadinho

Ancorado na alta no preço das commodities e na valorização do dólar frente ao real, o setor de mineração teve alta de 36% no faturamento em 2020. Foram R$ 209 bilhões faturados no ano passado – R$ 83 bi apenas no quarto trimestre no ano passado. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram) a partir de informações da Agência Nacional de Mineração (ANM).

Em termos de produção, no entanto, a alta foi de apenas 2,5%. Em 2020, foram comercializadas 1 bilhão de toneladas, frente 985 milhões em 2019. As exportações no período cresceram 11%, passando de US$ 33 em 2019 para US$ 37 bi em 2020. Em volume, o crescimento foi 362 milhões para 371 milhões de toneladas (2,4%). Considerando apenas o quarto trimestre, a produção exportada caiu 9%, embora o faturamento tenha crescido 8%.

O setor ainda reviu suas perspectivas de investimento até 2024 passarem de US$ 35 bilhões para US$ 38 bi. Segundo o Ibram, a variação cambial e a valorização dos preços das commodities minerais no mercado internacionais foram fortes influenciadoras do desempenho.

Em comunicado à imprensa e ao mercado o Ibram diz que, embora o balanço do setor em 2020 tenha sido positivo, não há espaço para comemoração, afinal outros segmentos produtivos observam efeitos nocivos da crise econômica alimentada pela pandemia.

“Em 2020 a mineração soube proteger seus empregados e parte das comunidades próximas e seguiu produzindo, o que resultou em divisas importantes para o Brasil, além de ter gerado empregos e estimulado outros benefícios socioeconômicos à população”, diz Wilson Brumer, presidente do Conselho Deliberativo do Ibram.

O dirigente reforçou ainda que a vacinação da população em massa, associada à manutenção de medidas “é a melhor estratégia para o Brasil mudar o cenário preocupante causado pela pandemia do novo coronavírus” e destacou o fato de a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ter anunciado a aprovação emergencial para as primeiras vacinas, com base em evidências científicas.

Mercado1Futuro

Saiba mais sobre o cenário do setor da mineração ouvindo o episódio do nosso podcast Mercado1Futuro. Nele, os professores universitários André Luiz Freitas (UFMG) e Hernani Lima (UFOP) apontam caminhos para uma exploração mais segura e responsável da indústria mineral.

Relacionados:

► Mineração fatura R$ 50 bi no trimestre e projeta crescimento no pós-pandemia► Vale e governo de Minas não chegam a acordo sobre indenização por Brumadinho

Leia mais: