clique para ir para a página principal

Raízen compra a Biosev e amplia domínio em açúcar e etanol no Brasil

Atualizado em -

Raízen compra a Biosev e amplia domínio em açúcar e etanol no Brasil Divulgação | Raízen
► Carros elétricos pressionam petroleiras para desenvolvimento e implementação de biocombustíveis► BNDES cria linha de R$ 1 bilhão para produtores de biocombustíveis

Líder mundial em açúcar e etanol de cana-de-açúcar, a Raízen informou nesta segunda-feira (8) que assinou acordo para comprar a Biosev (BSEV3), uma das maiores empresas do setor, em uma transação que envolverá pagamento de R$ 3,6 bilhões e ações. Com isso, a Raízen, uma joint venture da Cosan (CSAN3) e da Shell (RDSA34), contará com um total de 35 unidades produtoras, totalizando uma capacidade instalada de moagem de 105 milhões de toneladas de cana e cerca de 1,3 milhão de hectares de cultivos, o equivalente a 15% da área plantada brasileira.

Em comunicado ao mercado, a Louis Dreyfus, controladora da Biosev, destacou que terá a chance de equacionar um endividamento financeiro da subsidiária brasileira, que era de R$ 7,7 bilhões até o fim de janeiro deste ano. No passado, essa dívida foi causa de vários prejuízos líquidos.

"A Biosev está vindo com um super desconto, está vindo com um valor relativo muito baixo, é uma oportunidade muito boa. Eles estão melhorando muito operacionalmente, têm um problema mais financeiro do que operacional", disse o presidente da Raízen, Ricardo Mussa, citando que as usinas estão em áreas com bom clima e logística.

Segundo a Biosev, os R$ 3,6 bilhões recebidos deverão ser destinados para pagamento de parte das dívidas, na data de fechamento da transação. Além disso, com parte da reestruturação do endividamento total, aproximadamente R$ 4,13 bilhões serão assumidos pela Hédera sem direito de regresso contra a Biosev por meio de novos instrumentos de financiamento a serem oferecidos pelos bancos credores.

Relacionados:

► Carros elétricos pressionam petroleiras para desenvolvimento e implementação de biocombustíveis► BNDES cria linha de R$ 1 bilhão para produtores de biocombustíveis

Leia mais: