clique para ir para a página principal

Varejo tem queda histórica em dezembro, mas encerra 2020 com alta de 1,2%

Atualizado em -

Varejo tem queda histórica em dezembro, mas encerra 2020 com alta de 1,2% Pixabay
► Produção industrial cresce 3,2% em agosto; EUA abriram 661 mil vagas de emprego em setembro► Supermercados fecham 2020 com a melhor geração de emprego desde 2014, segundo APAS

O volume de vendas do varejo caiu 6,1% em dezembro, na série com ajuste sazonal, após ter variado - 0,1% em novembro. A média móvel trimestral foi de - 1,8%. É a queda mais intensa para um mês de dezembro de toda a série histórica, iniciada em 2000. Os dados foram divulgados hoje pelo IBGE.

Apesar dos resultados negativos nos últimos dois meses do ano, o acumulado de 2020 fechou com alta de 1,2%. É a quarta vez seguida que o comércio tem alta anual: 2,1% em 2017; 2,3% em 2018 e 1,8% em 2019.

”Os resultados da pesquisa costumam ter variações menores, mas com a pandemia, houve uma mudança desse cenário, já que tivemos dois meses (março e abril) de quedas muito grandes”, disse o gerente da pesquisa, Cristiano Santos.

Na série sem ajuste sazonal, frente a dezembro de 2019, o comércio varejista teve aumento de 1,2%, sexta taxa positiva consecutiva. No acumulado no ano, o varejo passou de 1,3% em novembro para 1,2% em dezembro, indicando estabilidade no ritmo de vendas.

No varejo ampliado, que inclui Veículos, motos, partes e peças e Material de construção, o volume de vendas caiu 3,7% em relação a novembro, descontando parte de sete meses consecutivos de acréscimos. Em relação a dezembro de 2019, o varejo ampliado cresceu 2,6%, sexta taxa positiva consecutiva. O acumulado no ano foi -1,5%.

Ainda de acordo com o IBGE, todas as oito atividades pesquisadas tiveram queda em dezembro. As maiores baixas foram em Artigos de uso pessoal e doméstico (-13,8%), Tecidos, vestuário e calçados (-13,3%).

Relacionados:

► Produção industrial cresce 3,2% em agosto; EUA abriram 661 mil vagas de emprego em setembro► Supermercados fecham 2020 com a melhor geração de emprego desde 2014, segundo APAS

Leia mais: