clique para ir para a página principal

Pazuello promete entrega de 230 milhões de vacinas contra a Covid-19 até 31 de julho

Atualizado em -

Pazuello promete entrega de 230 milhões de vacinas contra a Covid-19 até 31 de julho Marcelo Camargo | Agência Brasil
► Bolsonaro confirma volta do auxílio emergencial em março e por até quatro meses► Com viagens suspensas desde 29 de janeiro, Portugal anuncia voo para repatriar portugueses no Brasil

Em reunião virtual com governadores nesta quarta-feira (17), o ministro Eduardo Pazuello (Saúde) afirmou que 230,7 milhões de doses das vacinas contra o novo coronavírus serão entregues até 31 de julho. De acordo com o cronograma da pasta, em fevereiro serão distribuídas 2 milhões de doses do imunizante produzido pela Fiocruz em parceria com a farmacêutica AstraZeneca, importadas da Índia. Em março, serão mais 18 milhões de doses do Instituto Butantan e outras 16,9 milhões de vacinas da AstraZeneca.

A negociação com os laboratórios da União Química/Gamaleya e Precisa/Bharat Biotech fazem parte do cronograma do primeiro semestre, de acordo com o Ministério da Saúde. A previsão é que os contratos sejam assinados ainda nesta semana. Os laboratórios irão garantir a chegada da vacina russa Sputnik V e da indiana Covaxin, respectivamente. As duas ainda não foram aprovadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

No encontro, de acordo com a assessoria do Ministério da Saúde, Pazuello apresentou cronograma de entrega; quantidade de doses; e contratos para aquisição de mais imunizantes. Abaixo, confira o corongrama apresentado pela pasta:

Fundação Oswaldo Cruz (vacina AstraZeneca/Oxford)

  • Janeiro: 2 milhões (entregues)
  • Fevereiro: 2 milhões (importadas da Índia)
  • Março: 4 milhões (importadas da Índia) + 12.900.000 (produção nacional com IFA importado)
  • Abril: 4 milhões (importadas da Índia) + 27,3 milhões (produção nacional com IFA importado)
  • Maio: 28,6 milhões (produção nacional com IFA importado)
  • Junho: 28,6 milhões (produção nacional com IFA importado)
  • Julho: 3 milhões (produção nacional com IFA importado)

Fundação Butantan (vacina Coronavac/Sinovac)

  • Janeiro: 8,7 milhões (entregues)
  • Fevereiro: 9,3 milhões
  • Março: 18,1 milhões
  • Abril: 15,9 milhões
  • Maio: 6 milhões
  • Junho: 6 milhões
  • Julho: 13,5 milhões

Covax Facility

  • Março: 2,6 milhões (vacina importada da AstraZeneca/Oxford)
  • Até junho: 8 milhões (vacina importada da AstraZeneca/Oxford)

União Química (vacina Sputnik V/Instituto Gamaleya/RUS)

  • Março: 400 mil (importadas da Rússia)
  • Abril: 2 milhões (importadas da Rússia)
  • Maio: 7,6 milhões (importadas da Rússia)

Precisa Medicamentos (vacina Covaxin/Barat Biotech/IND)

  • Março: 8 milhões (importadas da Índia)
  • Abril: 8 milhões (importadas da Índia)
  • Maio: 4 milhões (importadas da Índia)

Variantes do novo coronavírus

A Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro informou nesta quarta (17) que foram identificados cinco casos de variantes do novo coronavírus no estado, sendo quatro da variante P.1 da SARS-CoV-2, identificada inicialmente em Manaus, e um da variante britânica.

Segundo o superintendente de Vigilância Epidemiológica e Ambiental, Mario Sérgio Ribeiro, um dos três casos registrados na capital fluminense é de um dos pacientes vindos de Manaus que está internado no Rio. Outros dois casos foram identificados, um em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, e um em Petrópolis, na Região Serrana.

“Não é possível dizer, neste momento, se são casos importados ou autóctones [transmissão local]", disse Ribeiro.

O secretário estadual de Saúde, Carlos Alberto Chaves, descartou a adoção no momento de um lockdown (bloqueio) das atividades como medida para conter a transmissão dessas novas variantes. De acordo com Chaves, será feito o acompanhamento diário dos casos com a vigilância epidemiológica.

Relacionados:

► Bolsonaro confirma volta do auxílio emergencial em março e por até quatro meses► Com viagens suspensas desde 29 de janeiro, Portugal anuncia voo para repatriar portugueses no Brasil

Leia mais: