clique para ir para a página principal

Contratação do crédito rural alcança mais de R$ 147 bilhões em oito meses

Atualizado em -

Contratação do crédito rural alcança mais de R$ 147 bilhões em oito meses Pixabay
► Consórcios preenchem lacunas dos bancos e auxiliam na modernização do agronegócio brasileiro► Setor agropecuário tem maior geração de emprego formal desde 2011, segundo CNA

O Ministério da Agricultura divulgou nesta quinta-feira (4) que, de julho de 2020 a fevereiro de 2021, o valor das contratações de crédito rural somou R$ 147,57 bilhões, o que representa uma alta de 18% em relação a igual período da safra anterior. De acordo com o Balanço de Financiamento Agropecuário da Safra 2020/2021, os recursos para investimento somaram R$ 47,33 bilhões (40%), R$ 78,64 (14%) para custeio e R$ 8,24 bilhões (1%) para industrialização.

O bom desempenho do crédito rural tem como destaque os financiamentos contratados pelos produtores de maior porte e cooperativas, classificados na categoria de “Demais”, que se situaram em R$ 49,14 bilhões (16%) para custeio e R$ 35,22 bilhões (56%) para investimento. Essa categoria respondeu por 62% do crédito de custeio e 74% do crédito de investimento.

Entre as contratações de crédito rural feitas com recursos controlados, no total de R$ 100,15 bilhões, destaca-se a redução de 25% na utilização de Recursos Obrigatórios, se situando em R$ 27,19 bilhões, ao mesmo tempo em que a utilização de recursos da Poupança Rural Controlada aumentou 78%, atingindo R$ 42,45 bilhões.

O aumento na utilização de recursos das fontes não controladas (22%) foi superior ao das fontes controladas (17%). Na avaliação do diretor do Departamento de Crédito e Informação, Wilson Vaz de Araújo, isso confirma o acerto da política de diversificação das fontes de financiamento, com destaque para o aumento de 72% em recursos livres (de tesouraria ou próprios dos bancos), num total de R$ 12,16 bilhões, e de 15% nas contratações com recursos da fonte Letra de Crédito do Agronegócio (LCA), que ficaram em R$ 20,79 bilhões.

Soja

A produção de soja do Brasil deve atingir 135,68 milhões de toneladas na safra 2020/21, estimou a consultoria Datagro nesta quinta-feira (4), diante do excesso de chuvas na colheita que também está garantindo uma safra cheia em boa parte do país. Apesar do recorde, a quantidade apresenta um ajuste negativo em relação aos 135,87 milhões vistos em fevereiro.

"Com as chuvas abundantes previstas para março, cerca de 95% da safra estaria garantida. Portanto, já podemos afirmar que teremos uma safra cheia e recorde", disse o coordenador de grãos da Datagro, Flávio Roberto de França Junior, em nota.

Relacionados:

► Consórcios preenchem lacunas dos bancos e auxiliam na modernização do agronegócio brasileiro► Setor agropecuário tem maior geração de emprego formal desde 2011, segundo CNA

Leia mais: