clique para ir para a página principal

CNI: Índice de confiança do empresário tem terceira maior queda mensal da série histórica

Atualizado em -

CNI: Índice de confiança do empresário tem terceira maior queda mensal da série histórica Agência CNI
► Guedes defende mais programas sociais e diz que antecipará 13º dos idosos► CNI: Produtividade na indústria caiu em 2020 com crise do coronavírus

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) informou hoje que o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) registrou uma queda de 5,1 pontos em março e chegaram 54,4 pontos.

Segundo a entidade, essa foi a terceira maior queda mensal da série histórica, abaixo apenas dos recuos de 2018 (consequência da paralisação dos caminhoneiros) e em abril 2020 (devido à pandemia).

Essa ainda foi a terceira queda seguida do indicador. Apesar disso, o fato do valor ainda estar acima dos 50 pontos, pela metodologia utilizada, o indicador aponta que os empresários seguem “confiantes”.

”A queda expressiva na passagem de fevereiro para março nos faz um alerta. A confiança existe (pois o índice está acima de 50 pontos), mas já foi maior e está caindo rapidamente. Mostra que os empresários estão percebendo uma piora nas condições atuais dos seus negócios e nas perspectivas futuras da economia”, afirmou o economista da CNI, Marcelo Azevedo.

Segundo a entidade, o índice de “condições atuais” da economia, um dos componentes do ICEI, caiu 4,3 pontos, para 48,9 pontos em março. Com isso, avaliou a CNI, o indicador mostra que o empresário “percebe piora do estado atual da economia brasileira e das empresas”.

Já o índice de expectativas, que também compõe o ICEI, recuou 5,4 pontos em março, para 57,2 pontos. Deste modo, a CNI informou que os empresários da indústria "seguem otimistas com relação aos próximos seis meses, mas houve reavaliação das expectativas, que se tornaram menos positivas".

Relacionados:

► Guedes defende mais programas sociais e diz que antecipará 13º dos idosos► CNI: Produtividade na indústria caiu em 2020 com crise do coronavírus

Leia mais: