clique para ir para a página principal

Taxa de desocupação bateu recorde em 20 estados em 2020

Atualizado em -

 Taxa de desocupação bateu recorde em 20 estados em 2020 Agência Brasil
► FGV: Indicador Antecedente de Emprego sobe em dezembro e chega a 85,7 pontos ► Desemprego recua para 13,9% no último trimestre, mas taxa média anual é a maior da série histórica

A taxa média de desocupação no ano passado foi recorde em 20 estado do país, alinhada com a média nacional que subiu de 11,9% para 13,5% - a maior da série histórica iniciada em 2012. Os índices mais altos foram registrados em estados do Nordeste e as menores nos estados do Sul. Os dados são da PNAD contínua divulgados hoje pelo IBGE.

Segundo o levantamento, as maiores taxas de desocupação ficaram com Bahia (19,88), Alagoas (18,6%), Segipe (18,4%) e Rio de Janeiro (17,4%), enquanto os menores índices foram registrados em Santa Catarina (6,1%), Rio Grande do Sul (9,1%) e Paraná (9,4%).

De um ano para outro, houve uma redução de 7,3 milhões de pessoas no país, chegando o menor número da série anual (86,1 milhões). Com isso, pela primeira vez, menos da metade da população economicamente ativa estava ocupada no país. Em 2020, o nível de ocupação foi de 49,4%. Em 15 estados (todos do Nordeste), o nível de ocupação ficou abaixo de 50% no ano passado.

Ainda de acordo com o IBGE, a taxa média de informalidade também recuou, passando de 41,1% em 2019 para 38,7% em 2020, somando 39,9 milhões de pessoas.

”A queda da informalidade não está relacionada a mais trabalhadores formais no mercado. Está relacionada ao fato de trabalhadores informais terem perdido sua ocupação ao longo do ano. Com menos trabalhadores informais na composição de ocupados, a taxa de informalidade diminui”, explica a analista da pesquisa, Adriana Beringuy.

Relacionados:

► FGV: Indicador Antecedente de Emprego sobe em dezembro e chega a 85,7 pontos ► Desemprego recua para 13,9% no último trimestre, mas taxa média anual é a maior da série histórica

Leia mais: