clique para ir para a página principal

Europa busca aliança com os EUA para combater emissões da aviação

Atualizado em -

Europa busca aliança com os EUA para combater emissões da aviação Pexels
► Demanda mundial por voos caiu 70% em 2020 ► Cade aprova, sem restrições, joint venture da Latam com a Delta Airlines

(Reuters) - A União Europeia quer trabalhar com o governo dos EUA para conter a contribuição da aviação para a mudança climática, inclusive por meio de possíveis padrões de poluição no combustível de aviação, disse um alto funcionário da Comissão Europeia nesta terça-feira (16).

A UE comunicou que todos os setores devem contribuir para seu objetivo de eliminar as emissões líquidas de gases de efeito estufa que causam as mudanças climáticas até 2050.

Isso inclui a aviação, cujas emissões globais aumentaram nas últimas duas décadas, até a pandemia de Covid-19, que causou uma queda temporária na poluição no ano passado.

Além de emitir dióxido de carbono, os voos contribuem para as mudanças climáticas ao produzir gases nitrosos, fuligem e rastos de vapor de água que podem causar um efeito de aquecimento amplificado.

"Historicamente … esses impactos não relacionados ao CO2 não foram realmente levados em consideração, e talvez pudéssemos trabalhar com a administração dos EUA para incentivá-los a serem levados em consideração", disse Damien Meadows, chefe interino do departamento de aviação da Comissão política climática.

Um estudo da UE em novembro descobriu que as emissões não-CO2 são responsáveis ​​por cerca de dois terços do aquecimento global causado pela aviação.

"Se trabalhássemos com os Estados Unidos, poderíamos tentar elevar os padrões de combustível para diminuir a quantidade de elementos de fuligem que causam impactos não relacionados ao CO2", disse Meadows ao Parlamento Europeu.

Outra opção poderia ser projetar rotas de vôo transatlântico para minimizar suas trilhas de condensação.

O governo Biden deu sinais iniciais de que vai examinar o impacto da aviação no clima, inclusive com a nomeação de Annie Petsonk como a principal autoridade da aviação internacional do departamento de transporte.

Petsonk, advogado ambientalista, trabalhou durante anos no Fundo de Defesa Ambiental, sem fins lucrativos, para pressionar os Estados Unidos a adotar políticas de emissões de aviação mais rígidas.

Enquanto isso, a Europa está traçando metas, a serem propostas no segundo trimestre do ano, para que as companhias aéreas usem uma parcela mínima de combustíveis de aviação sustentáveis. O bloco também está refletindo sobre mudanças nos impostos sobre combustíveis para acelerar o abandono do querosene de combustível fóssil.

Podcast +Q1Minuto

Aprenda mais a respeito de como as temáticas ambientais, sociais ou de governança têm feito cada vez mais parte do universo das empresas e de seus investidores.

Escute o episódio do +Q1Minuto com o debate sobre como a temática ESG pode gerar oportunidades para os seus investimentos. No episódio, o Sócio e Economista da VLG Investimentos, Leonardo Milane, aponta como a mudança de mentalidade na tomada de decisão sobre em quais empresas ou projetos investir também tem alterado a dinâmica das aplicações feitas pelos brasileiros.

Relacionados:

► Demanda mundial por voos caiu 70% em 2020 ► Cade aprova, sem restrições, joint venture da Latam com a Delta Airlines

Leia mais: