clique para ir para a página principal

Janeiro tem saldo de 260 mil empregos; o melhor da série histórica

Atualizado em -

Janeiro tem saldo de 260 mil empregos; o melhor da série histórica Agência Brasil
► Desemprego recua para 13,9% no último trimestre, mas taxa média anual é a maior da série histórica► Taxa de desocupação bateu recorde em 20 estados em 2020

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado hoje pelo Ministério da Economia, foram gerados 260,3 mil empregos com carteira assinada em janeiro deste ano. É o melhor saldo para o mês de janeiro em toda a série histórica, que começou em 1992. Até então, a maior geração de empregos formais para o mês havia sido registrada em 2010 (181 mil vagas).

No período, segundo o levantamento, foram contratados 1,5 milhão de trabalhadores formais e demitidas 1,2 milhão de pessoas.

Na segmentação por atividade econômica, houve saldo positivos em todos os cinco grupos: Indústria (90,4 mil); Serviços (83,6 mil); Construção (43,4 mil); Agricultura e Pecuária (32,9 mil); e Comércio (9,8 mil).

Ainda segundo os dados do Caged, o salário médio de admissão em janeiro foi de R$ 1.706,14 – um aumento real de R$ 20 se comparado ao mês anterior. Na modealidade trabalho intermitente, houve em janeiro 15.600 admissões e 12.517 desligamentos, gerando saldo positivo de 3.083 empregos.

IBGE

Os dados mais recentes do IBGE, que calculam os índices oficiais de desemprego, a taxa de desocupados no país está em 13,5% (cerca de 13,4 milhões de pessoas) - a maior já registrada desde o início da série histórica, em 2012.

Relacionados:

► Desemprego recua para 13,9% no último trimestre, mas taxa média anual é a maior da série histórica► Taxa de desocupação bateu recorde em 20 estados em 2020

Leia mais: