clique para ir para a página principal

Prefeitura do Rio regulamenta transporte por app e vai cobrar 1,5% das corridas

Atualizado em -

Prefeitura do Rio regulamenta transporte por app e vai cobrar 1,5% das corridas Divulgação / Uber
► Baterias de Nióbio podem colocar o Brasil na dianteira do desenvolvimento dos carros elétricos► Falta de insumos, câmbio e carga tributária comprometem fabricação de veículos no país

Em decreto publicado nesta terça-feira (16), a prefeitura do Rio de Janeiro informou que irá cobrar 1,5% das corridas de aplicativos de transporte na cidade. O tema é discutido há anos no município e as regras agora devem entrar em vigor em um mês. Pelo decreto, os recursos arrecadados com as corridas feitas por aplicativos de transporte serão destinados à manutenção de vias da cidade.

"O preço público a ser pago como contrapartida pelo direito de uso intensivo do sistema viário urbano incidirá em percentual base de 1,5% sobre o valor total cobrado dos passageiros nas viagens realizadas por meio de aplicativos ou plataformas de comunicação", destaca a prefeitura.

A prefeitura registra ainda que os motoristas precisam atender vários requisitos para poderem rodar na cidade com aplicativos. Entre as obrigações estão a contratação de Seguro de Acidentes Pessoais a Passageiros (APP) e Seguro de Responsabilidade Civil Facultativa (RC-F).

Os motoristas também vão precisar de inscrição como contribuinte individual do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e terem Carteira Nacional de Habilitação na categoria B ou superior que contenha a informação de que exerce atividade remunerada. Já os veículos dos motoristas de apps podem ter no máximo 10 anos de uso, ao menos quatro portas e no máximo sete lugares. O motorista também não poderá ter antecedentes criminais.

A empresa de transporte por aplicativo 99 afirmou que desde 2019 "o Supremo Tribunal Federal (STF) considera que restringir o uso de aplicativos de mobilidade é inconstitucional e fere princípios como a livre iniciativa e a concorrência".

"A 99, portanto, acredita em uma solução breve para continuar a garantir aos motoristas parceiros o direito de gerar renda e das pessoas escolherem como desejam se locomover pela cidade."

Uber

O Uber informou nesta terça-feira (16) que vai conceder benefícios de funcionários para seus 70 mil motoristas cadastrados no Reino Unido. A decisão ocorre após a gigante da tecnologia perder batalha na Suprema Corte britânica em fevereiro. A partir de amanhã (17), os motoristas terão direito a salário mínimo e férias remuneradas, algo inédito no mundo para a empresa.

Relacionados:

► Baterias de Nióbio podem colocar o Brasil na dianteira do desenvolvimento dos carros elétricos► Falta de insumos, câmbio e carga tributária comprometem fabricação de veículos no país

Leia mais: