clique para ir para a página principal

Caixa Econômica registra lucro de R$ 13,169 bilhões em 2020

Atualizado em -

Caixa Econômica registra lucro de R$ 13,169 bilhões em 2020 Marcelo Camargo | Agência Brasil
► Caixa Seguridade e CNP fecham acordo de 25 anos para atuação em seguros ► Caixa amplia para R$ 6,5 bilhões a oferta de crédito rural no primeiro semestre de 2021

Nesta quinta-feira (18), a Caixa Econômica Federal divulgou que teve lucro contábil consolidado de R$ 5,671 bilhões no quarto trimestre de 2020, uma alta de 200% em relação aos três meses anteriores e de 15,8% na comparação com o mesmo período do ano anterior. No balanço anual, a Caixa teve lucro de R$ 13,169 bilhões em 2020 - uma queda de 37,5%.

No quarto trimestre do ano passado, a margem financeira do banco foi de R$ 10,585 bilhões, registrando uma alta de 10,8% no trimestre e queda de 4,5% no ano. A carteira de crédito ampla do banco chegou a R$ 787,422 bilhões em dezembro de 2020, uma expansão de 4,1% sobre setembro e de 13,5% na comparação com dezembro de 2019.

De acordo com o informe da instituição, as provisões para devedores duvidosos ficaram em R$ 2,635 bilhões no último trimestre de 2020, com queda de 28,2% ante o terceiro. No entanto, um aumento de 63,9% em relação ao quarto trimestre do ano anterior. A inadimplência ficou em 1,73% em dezembro, de 1,87% em setembro e 2,17% em dezembro de 2019.

As receitas de tarifas e prestação de serviços somaram R$ 6,205 bilhões no quarto trimestre, com alta de 1,5% no trimestre e queda de 9,4% no ano. Já as despesas administrativas atingiram R$ 10,046 bilhões, com elevações de 17,6% e 14,2%, na mesma base de comparação.

O retorno sobre o patrimônio (ROE) ficou em ficou em 15,18% no quarto trimestre, de 14,20% no terceiro e 26,13% no quarto trimestre do ano anterior. Já o índice de Basileia (indicador que mede o grau de alavancagem financeira de um banco) atingiu 17,62%, de 17,81% e 18,96%, respectivamente.

Linhas de crédito

A Caixa Econômica relatou também que sua carteira de crédito comercial para pessoa jurídica cresceu 83,7% em 2020, chegando a R$ 70,942 bilhões. A expansão foi bem maior do que na carteira comercial para pessoa física, que avançou 10,5%, registrando R$ 90,443 bilhões. Em habitação, o crescimento foi de 9,8%, a R$ 510,636 bilhões. Em infraestrutura, houve elevação de 7,7%, a R$ 90,473 bilhões. E, no crédito rural, a expansão foi de 70,3%, a R$ 7,719 bilhões.

De acordo com a instituição, o crescimento da carteira PJ foi puxado pelas linhas para micro e pequenas empresas, com destaque para os R$ 15,6 bilhões concedidos por meio do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe).

Já na linha de crédito amparada pelo Fundo de Aval para as Micro e Pequenas Empresas (Fampe), foram contratados R$ 2,5 bilhões. Essa modalidade conta com o crédito assistido do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). E na linha de crédito com garantia do Fundo Garantidor para Investimentos (FGI), no âmbito do Programa Emergencial de Acesso ao Crédito (Peac), foram contratados R$ 15,4 bilhões.

No crédito comercial PF, a Caixa destacou as contratações de crédito consignado, que totalizaram R$ 66,0 bilhões em 2020, alta de 39,7%.

Clique e fale com um especialista VLG Investimentos

Clique e fale com um especialista VLG Investimentos

Podcast +Q1Minuto

Saiba como a modalidade de Crédito Colateralizado tem ganhado cada vez mais espaço através de diversas instituições financeiras com cobranças de juros menores. Ouça o episódio do podcast +Q1Minuto sobre o tema e entenda como a carteira de ativos do investidor pode ser usada como garantia.

No programa, o Sócio e Economista da VLG Investimentos, Leonardo Milane, exemplifica com casos de empresários que usaram a ferramenta para tomar crédito, pagar dívidas e, inclusive, alavancar seus negócios.

Relacionados:

► Caixa Seguridade e CNP fecham acordo de 25 anos para atuação em seguros ► Caixa amplia para R$ 6,5 bilhões a oferta de crédito rural no primeiro semestre de 2021

Leia mais: