clique para ir para a página principal

Ibovespa encerrou em -1,49% em meio ao aumento global nas restrições à circulação de pessoas

Atualizado em -

Ibovespa encerrou em -1,49% em meio ao aumento global nas restrições à circulação de pessoas Unsplash
► Em ata, BC diz que impacto da pandemia na economia deve ser menor esse ano► IPO da Mater Dei pode levantar R$ 2 bilhões

Clique e fale com um especialista VLG Investimentos

Clique e fale com um especialista VLG Investimentos

O índice brasileiro encerrou o dia em queda de -1,49% aos 113.261 pontos em meio ao aumento global nas restrições à circulação de pessoas por conta do avanço da pandemia e aos discursos do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, e da secretária do Tesouro, Janet Yellen.

Sobre as falas das autoridades americanas, Powell disse que a política monetária dos Estados Unidos é altamente acomodatícia e garantiu que a autoridade está olhando “cuidadosamente” para a estabilidade financeira. De acordo com Powell, antes de reduzir estímulos monetários, a instituição vai comunicar “com cuidado” e se “mover devagar”. Já Yellen destacou que o país deve voltar ao pleno emprego em 2022, mas ressalvou que é necessário tornar claro que muito trabalho ainda precisa ser feito.

Por aqui, os investidores refletiram a ata do Copom e também o noticiário preocupante sobre o avanço da pandemia no país.

A avaliação do Copom é que o cenário básico para a inflação, com forte crescimento nos últimos meses e piora das expectativas, já recomendaria o início de um processo de normalização “parcial” das taxas de juros.

Enquanto isso, o dólar comercial registrou queda de -0,04% a R$ 5,515 na compra e a R$ 5,516 na venda.

Maiores altas

  • IRB (IRBR3) +5,75% R$6,44
  • CVC (CVCB3) +5,07% R$19,27
  • Marfrig (MRFG3) +3,85% R$16,98

Maiores baixas

  • Azul (AZUL4) -6,67% R$36,80
  • PetroRio (PRIO3) -4,26% R$86,69
  • Gerdau (GGBR4) -4,25% R$26,59

Relacionados:

► Em ata, BC diz que impacto da pandemia na economia deve ser menor esse ano► IPO da Mater Dei pode levantar R$ 2 bilhões

Leia mais: