clique para ir para a página principal

Ebit/Nielsen: e-commerce ganhou 13 milhões de novos consumidores no Brasil em 2020

Atualizado em -

Ebit/Nielsen: e-commerce ganhou 13 milhões de novos consumidores no Brasil em 2020 Pixabay
► Falta de crédito compromete desempenho das micro e pequenas empresas durante a pandemia► Procura por crédito por parte das empresas aumentou 12,7% em fevereiro

A Ebit/Nielsen divulgou nesta segunda-feira (29) que as vendas online ganharam 13 milhões de novos consumidores no Brasil em 2020. Em meio à pandemia de coronavírus, o e-commerce alcançou 79,7 milhões de clientes no ano passado, o que representa alta de 29% em relação a 2019. Dos novos compradores, 83% disseram repetiriam a compra pela internet.

"As medidas de restrição de circulação e o fechamento de lojas físicas durante a crise foram os principais fatores para o crescimento da primeira compra em sites. No varejo de rua, 20% das lojas tiveram de fechar as portas", informa a consultoria.

Em comparação com o mesmo período de 2019, o faturamento de lojas na internet cresceu 41% no em 2020, sendo a maior alta do setor em 13 anos. Já as vendas no e-commerce chegaram a R$ 87,4 bilhões entre janeiro e dezembro do ano passado em meio à pandemia de coronavírus. O número foi impulsionado pelo crescimento dos pedidos, que subiram 30%, em sua maior alta desde 2013. Foram 194 milhões de compras nos 12 meses de 2020.

“O brasileiro ficou muito conectado durante a pandemia, com o celular ao alcance da mão. E isso facilitou muito para fazer suas compras de supermercado, roupas, artigos de casa e decoração, por exemplo”, afirmou o chefe de e-commerce de Ebit/Nielsen, Marcelo Osanai.

Divisão de faturamento por segmentos:

  • Lojas de departamento: 84,3%
  • Artigos esportivos: 2,8%
  • Informática: 2,4%
  • Roupas: 2,2%
  • Autosserviço (supermercados, atacarejos e farmácias): 1,8%

Relacionados:

► Falta de crédito compromete desempenho das micro e pequenas empresas durante a pandemia► Procura por crédito por parte das empresas aumentou 12,7% em fevereiro

Leia mais: