clique para ir para a página principal

FGV: Confiança do setor de serviços chega a pior resultado desde junho

Atualizado em -

FGV: Confiança do setor de serviços chega a pior resultado desde junho Elza Fiúza / Agência Brasil
► Economia e indústria terão crescimento comprometido por segunda onda de Covid-19 em 2021► CNI divulga que confiança caiu em 30 setores industriais entre fevereiro e março

A Fundação Getulio Vargas (FGV) divulgou nesta segunda-feira (29) o Índice de Confiança de Serviços (ICS). O indicador recuou 5,6 pontos em março e fecha o mês com pontuação em 77,6, em uma escala de 0 a 200.

Com essa baixa, o resultado foi o pior registrado nos últimos nove meses. O indicador só ficou acima do valor de junho de 2020, que ficou em 71,7 pontos.

"A piora da satisfação dos empresários e aumento do pessimismo em relação ao curto prazo sinalizam as dificuldades do setor diante o recrudescimento da pandemia, aumento das medidas restritivas e cautela dos consumidores", comenta Rodolpho Tobler, economista da FGV IBRE.

Ainda segundo os dados divulgados pela entidade, o Índice de Situação Atual (ISA-S) caiu 4,2 pontos no terceiro mês do ano, ficando em 74,4 pontos. O Índice de Expectativas (IE-S) fechou em 81,3 pontos, baixa de 6,7 na pontuação. Os dois indicadores também foram os mais baixos desde junho.

Por outro lado, o Nível de Utilização da Capacidade Instalada (NUCI) do setor de serviços cresceu 0,8 ponto percentual e encerrou o mês em 83,2%.

Tobler comenta que devido ao atual cenário enfrentado é difícil enxergar uma recuperação, dos números anteriores à pandemia, para o setor.

"A distância para os níveis anteriores à pandemia segue aumentando e o cenário de elevada incerteza ainda persiste tornando difícil vislumbrar uma recuperação nos próximos meses, enquanto não houver aceleração no processo de imunização e melhora dos números da pandemia”, explica o economista.

Relacionados:

► Economia e indústria terão crescimento comprometido por segunda onda de Covid-19 em 2021► CNI divulga que confiança caiu em 30 setores industriais entre fevereiro e março

Leia mais: