clique para ir para a página principal

Ipea estima crescimento de 3% do PIB do Brasil em 2021

Atualizado em -

Ipea estima crescimento de 3% do PIB do Brasil em 2021 Arquivo/ Agência Brasil
► Economia e indústria terão crescimento comprometido por segunda onda de Covid-19 em 2021► Banco Mundial aponta que retomada no Brasil será mais lenta que média da América Latina

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) estimou nesta terça-feira (30) que o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil deve avançar 3% neste ano e 2,8% em 2022. Já a atividade econômica deve recuar 0,5% no primeiro trimestre por causa dos efeitos da pandemia do novo coronavírus. Com o descontrole da doença, estados e municípios voltaram a restringir o funcionamento de atividades que não são consideradas essenciais.

As previsões do instituto são mais pessimistas do que o mercado espera. No boletim Focus (BC), divulgado ontem (29), os analistas consultados avaliam que o PIB de 2021 deve crescer 3,18%.

"Ainda que uma nova rodada de medidas fiscais de combate aos efeitos da pandemia esteja programada para começar em abril, o impacto negativo sobre a atividade econômica tende a prevalecer no primeiro semestre, embora em magnitude significativamente menor do que a verificada no ano passado", destacou o Ipea.

A economia brasileira deve mostrar uma aceleração ao longo do segundo semestre conforme a cobertura vacinal avance no país. Ontem, 16,2 milhões de pessoas receberam a primeira dose da vacina.

"No segundo semestre, o cenário considerado na projeção é que a cobertura vacinal contra a Covid-19 esteja avançada e permita a retomada do crescimento devido ao aumento da confiança dos consumidores e empresários e à redução de medidas de isolamento social", apontaram os técnicos do Ipea.

O Ipea também estimou que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve terminar 2021 em 4,6%. Para 2022, a previsão é de alta de 3,4%. Segundo o instituto, a alta da taxa básica de juros e a queda de incertezas fiscais devem contribuir para uma inflação mais branda no ano que vem.

Banco Mundial

O relatório “Voltar a crescer”, publicado pelo Banco Mundial, aponta que a previsão para o crescimento do PIB em 2021 é de 3%, abaixo da média de 4,1% prevista para a América Latina.

A Instituição já havia divulgado a previsão de crescimento de 3% do PIB brasileiro em 2021, mas, na época, a previsão para a América Latina era de crescimento de 3,7%.

O relatório indica uma perspectiva de alta de 6,4% para a Argentina, 5.5% para o Chile e 5% para a Colômbia. De acordo com o Bando Mundial, a América Latina e o Caribe sofreram os maiores danos na economia e na saúde durante a pandemia. Em toda a região, a queda foi de 6,7% em 2020.

"A pandemia iniciou um processo de destruição criativa, que pode levar a um crescimento mais rápido, mas ao mesmo tempo ampliar a desigualdade dentro dos países na região e entre eles”, disse o economista-chefe do Banco Mundial para a América Latina e o Caribe, Martín Rama.

Relacionados:

► Economia e indústria terão crescimento comprometido por segunda onda de Covid-19 em 2021► Banco Mundial aponta que retomada no Brasil será mais lenta que média da América Latina

Leia mais: