clique para ir para a página principal

Empresas se unem para doar concentradores de oxigênio para o tratamento de pacientes com Covid

Atualizado em -

Empresas se unem para doar concentradores de oxigênio para o tratamento de pacientes com Covid José Leomar
► OMS se posiciona contra o uso de passaportes de vacinação da Covid► Estudo comprova eficácia da CoronaVac contra variante de Manaus

A B3 anunciou nesta quarta-feira (07) a parceria de um grupo formado por 12 empresas, incluindo a Bolsa de Valores, para viabilizar a doação de mais de 5 mil concentradores de oxigênio. Os equipametos serão utilizados no tratamento de pacientes com Covid-19 em suas próprias localidades, evitando, assim, deslocamentos de doentes para outras cidades e a sobrecarga de hospitais.

Formado pelas empresas Bradesco (BBDC4), BRF (BRFS3), B3 (B3SA3), Embraer (EMBR3), Gerdau (GGBR4), Grupo Ultra (UGPA3), Itaú Unibanco (ITUB4), Magazine Luiza (MGLU3), Marfrig (MRFG3), Natura & Co (NTCO3), Suzano (SUZB3) e Unipar (UNIP6), o grupo atendeu a uma chamada pública feita pela Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, em apoio ao Ministério da Saúde, para a aquisição de concentradores de oxigênio. A Air Liquide Brasil foi a responsável pela cotação geral para a importação dos equipamentos, ao custo total de R$ 35 milhões.

As mais de 5 mil unidades adquiridas serão entregues ao Ministério da Saúde, que ficará responsável pela logística de distribuição dos aparelhos. A expectativa é que os concentradores de oxigênio sejam enviados já no mês de abril as cidades de destino.

"Com essa iniciativa coletiva, as empresas somam seus esforços no enfrentamento à pandemia de Covid-19, em um de seus momentos mais agudos no Brasil. As companhias participantes desta ação estão comprometidas com os esforços da sociedade para salvar vidas e com o apoio ao Poder Público, em suas diferentes esferas, nas ações de superação à crise sanitária", ressaltou a B3, em nota.

Brasil ultrapassa 4 mil mortes por Covid em 24h

Nesta terça-feira (07), o Brasil registrou 4.211 mortes por Covid-19 em 24 horas - batendo pela primeira vez a marca de 4 mil óbitos anotados em um só dia. No total o país chegou ao números de 337.364 vítimas fatais da doença. Por conta disso, a média móvel de mortes no país nos últimos 7 dias ficou em 2.775. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de +22%, indicando tendência de alta nos óbitos pelo coronavírus.

Os números foram atualizados pelo consórcio de veículos de imprensa sobre a situação da pandemia da Covid-19 no Brasil, consolidados às 20h desta terça-feira. O levantamento é feito a partir de dados disponibilizados pelas secretarias estaduais de Saúde.

Relacionados:

► OMS se posiciona contra o uso de passaportes de vacinação da Covid► Estudo comprova eficácia da CoronaVac contra variante de Manaus

Leia mais: