clique para ir para a página principal

Hapvida espera levantar R$ 3 bilhões com follow-on

Atualizado em -

Hapvida espera levantar R$ 3 bilhões com follow-on Divulgação / Hapvida
► 3R Petroleum registra alta de 3,7% na produção de petróleo em março ► IPO da Caixa Seguridade pode levantar R$ 6,5 bilhões

Clique e fale com um especialista VLG Investimentos

Clique e fale com um especialista VLG Investimentos

Nesta terça-feira (6), a Hapvida (HAPV3) informou que espera levantar R$ 3 bilhões através de um follow-on, oferta subsequente de ações.

A empresa vai usar os valores obtidos na negociação para financiar investimentos, novas aquisições e fortalecer sua posição de caixa.

Segundo o documento enviado ao mercado, para que a oferta de ações seja efetivada são necessários que alguns fatores sejam observados.

“A companhia esclarece, no entanto, que a efetiva realização de eventuais captações pode se dar através de oferta de ações e/ou instrumentos de dívida e estarão sujeitas, dentre outros fatores, à obtenção das aprovações societárias necessárias, às condições mercadológicas e macroeconômicas, ao interesse de investidores, assim como outros fatores alheios à vontade da companhia”, relata o documento.

Com isso, ainda no comunicado, a companhia ressalta que a confirmação da realização dessa oferta de ações ainda não foi decidida.

Setor mais inelástico

O Sócio e Economista da VLG Investimentos, Leonardo Milane, destaca que as companhias do setor de Saúde tendem a não sofrerem tanto com os impactos durante crises econômicas. E, no caso da pandemia do coronavírus, muitas companhias que atuam no seguimento tiveram uma alta valorização devido ao aumento pela demanda.

"Empresas do setor da Saúde, normalmente, têm um faturamento muito inelástico. Ou seja, significa que elas têm menos sazonalidade, menos dependência de um setor econômico favorável para que continuem gerando caixa. Afinal de contas, não escolhemos hora para usar serviços de saúde. Pelo contrário, consumimos de maneira aleatória, de forma perene ao longo da vida e numa curva ascendente conforme ficamos mais velhos", explica Milane.

Aprenda mais sobre como aproveitar o crescimento perene de empresas que atuam na área da Saúde ouvindo o episódio do podcast +Q1Minuto sobre o assunto. O Sócio e Economista da VLG Investimentos, Leonardo Milane, mergulha no tema e explica de forma mais ampla como os investidores podem se orientar na escolha de papéis que tornem a carteira de ativos mais resistente ao sobe e desce da bolsa de valores.

Relacionados:

► 3R Petroleum registra alta de 3,7% na produção de petróleo em março ► IPO da Caixa Seguridade pode levantar R$ 6,5 bilhões

Leia mais: