clique para ir para a página principal

Méliuz registra crescimento de 226% na base de usuários ativos

Atualizado em -

Méliuz registra crescimento de 226% na base de usuários ativos Divulgação/Méliuz
► Bolsa brasileira libera 12 novos BDRs de ETFs para qualquer investidor► BTG Pactual tem desdobramento de ações aprovado

A companhia de cashback Méliuz (CASH3) registrou crescimento de 226% na base de usuários ativos no primeiro trimestre na comparação anual, passando de 2,2 milhões para 7,1 milhões.

Segundo comunicado divulgado nesta segunda-feira (12), foram abertas, em média 27 mil novas contas por dia de janeiro a março.

A empresa originou para os parceiros do marketplace um volume bruto de mercadorias (GMV) de mais de R$ 833 milhões, crescimento de 91% em comparação ao GMV do primeiro trimestre.

O cartão da empresa atingiu a marca de 4,5 milhões de solicitações.

Às 14h20, as ações da empresa apresentavam alta de 1,29% a R$ 33,07.

Plataforma de empréstimos

A empresa lançou também sua plataforma de empréstimos, a Méliuz Empréstimos. De acordo com a nota divulgada, os usuários do Méliuz poderão simular empréstimos em dezenas de instituições financeiras, de forma personalizada e gratuita.

A nova plataforma é uma parceria da Méliuz com a EasyCrédito e todo o processo acontece de maneira digital.

"Acreditamos que o serviço terá grande adesão da nossa base de usuários, principalmente levando em consideração a significativa aceitação que tivemos com o nosso cartão de crédito. Somente no quarto trimestre de 2020, foram 1,4 milhão solicitações recebidas", disse Israel Salmen, CEO e fundador do Méliuz.

Companhia estreou em novembro na B3

A Méliuz estreou na bolsa brasileira, a B3, em novembro de 2020.

“Fazer esse IPO é um sentimento parecido de quando eu e Israel colocamos a primeira versão do site do Méliuz no ar. É um sentimento de realização, com a consciência de que temos muito trabalho pela frente. Agradeço ao time incrível do Méliuz, que tenho orgulho de chamar de família”, Ofli Guimarães, CFO do Méliuz.

A Oferta foi feita nos termos da ICVM 400, sob a coordenação do Banco Itaú (Coordenador Líder), BTG Pactual, Bradesco BBI e XP Investimentos (Coordenadores da Oferta). Os recursos captados pela oferta do Méliuz teriam sido direcionados para ampliar a participação da companhia nos mercados em que já atua e para potenciais aquisições de empresas consideradas estratégicas.

Relacionados:

► Bolsa brasileira libera 12 novos BDRs de ETFs para qualquer investidor► BTG Pactual tem desdobramento de ações aprovado

Leia mais: