clique para ir para a página principal

Itaú libera investimento em criptomoedas no seu aplicativo

Atualizado em -

Itaú libera investimento em criptomoedas no seu aplicativo Divulgação
► PayPal começa a aceitar criptomoedas para pagamentos em compras nos EUA► Mercado Bitcoin aguarda estreia da Coinbase na Nasdaq e analisa IPO no Brasil

Clique e fale com um especialista VLG Investimentos

Clique e fale com um especialista VLG Investimentos

O Itaú (ITUB4) anunciou, nesta quarta-feira (14), que oferecerá investimento em criptomoedas a seus clientes VIPs do Itaú Personnalité. A divulgação foi feita através das redes sociais do banco e de um episódio do podcast do Itaú Personnalité.

Neste episódio, o banco informou que, a partir de agora, os clientes poderão investir no primeiro ETF de criptomoedas criado pela gestora Hashdex, o Hashdex Nasdaq Crypto Index (HASH11).

Itaú, BTG Pactual (BPAC11) e Genial foram escolhidos para coordenar a oferta. O ETF já foi aprovado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), mas a estreia deve acontecer em 22 de abril.

Durante o podcast, Stefano Sergole, diretor de distribuição da Hashdex, comentou que o lançamento de um ETF é um marco para a indústria de criptomoedas.

“É um marco para a Hashdex também ter essa parceria com o Itaú. E a gente imagina que essa parceria vai ser de muito longo prazo e tende a ser muito positiva", disse Sergole.

Coinbase estreia na Nasdaq avaliada em quase US$ 100 bilhões

A plataforma de criptomoedas Coinbase estreou na Nasdaq nesta quarta-feira (14) avaliada em quase US$ 100 bilhões.

Quando entrou com seu pedido de listagem de ações, em fevereiro, a Coinbase mostrou que sua receita mais do que dobrou no ano passado diante da disparada do preço do Bitcoin, principalmente no segundo semestre. De acordo com os documentos, a corretora teve receita líquida de US$ 1,14 bilhão em 2020, ante US$ 483 milhões no ano anterior. A empresa também registrou lucro líquido de US$ 322 milhões no ano, após registrar prejuízo em 2019.

A ação da Coinbase abriu a 381 dólares por ação, alta de 52,4% em relação a um preço de referência de 250 dólares. O preço de abertura ficou 10,9% acima do preço médio de 343,58 dólares que as ações estavam sendo negociadas de forma privada no primeiro trimestre de 2021.

"Estamos muito gratos por sermos capazes de trazer transparência para a criptoeconomia, o ecossistema que todos nós temos construído nos últimos 10 anos", disse a vice-presidente financeira da Coinbase, Alesia Haas, em uma entrevista coletiva.

Relacionados:

► PayPal começa a aceitar criptomoedas para pagamentos em compras nos EUA► Mercado Bitcoin aguarda estreia da Coinbase na Nasdaq e analisa IPO no Brasil

Leia mais: