clique para ir para a página principal

CNC: Turismo brasileiro registra perdas de R$ 312,6 bilhões desde o começo da pandemia

Atualizado em -

CNC: Turismo brasileiro registra perdas de R$ 312,6 bilhões desde o começo da pandemia  Freepik
► CNC reduz para 3,4% projeção de crescimento dos serviços em 2021► CNC revisa projeção de vendas para 2021, após novas restrições ao comércio

Uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) apontou que o setor de atividades turísticas no Brasil acumula um prejuízo de R$ 312,6 bilhões desde março de 2020, quando a pandemia se agravou no país.

O setor chegou no mês de março deste ano operando com cerca de 45% do seu nível total de capacidade mensal de receita.

A previsão da CNC é que o segmento recupere apenas no final de 2022 o nível médio de geração de receitas mensais de antes da pandemia.

Para o economista da CNC, responsável pelo estudo, Fábio Bentes, com esse recente agravamento da pandemia e o endurecimento de medidas restritivas são esperadas novas perdas.

“Esse prejuízo do setor de turismo está com tendência de alta desde o início do ano. A situação do setor é muito frágil, com tendência de queda. A segunda metade do ano deve ser melhor, se conseguirmos superar a segunda onda da pandemia no Brasil”, ressalta Bentes.

Ainda de acordo com o economista, o avanço da vacinação nos próximos meses colabora para o cenário da projeção de crescimento de 18,8% no volume de receitas do turismo em 2021.

Cerca de 52% do prejuízo apurado até agora pelo segmento foi concentrado em São Paulo, que foi responsável por R$ 112,9 bilhões em perdas e o Rio de Janeiro por R$ 49,4 bilhões.

Segundo o estudo, em janeiro deste ano, a perda no faturamento mensal foi de R$ 13,35 bilhões. Em fevereiro, o prejuízo foi de R$ 15,96 bilhões e em março ficou em R$ 22,03 bilhões.

A Pesquisa Mensal de Serviços divulgada pelo IBGE apontou que, na comparação do segundo mês do ano com o primeiro, houve alta de 2,4% nas atividades turísticas. Os dados também evidenciaram que entre maio do ano passado e fevereiro deste ano o setor registrou aceleração de 127,5%.

Relacionados:

► CNC reduz para 3,4% projeção de crescimento dos serviços em 2021► CNC revisa projeção de vendas para 2021, após novas restrições ao comércio

Leia mais: