clique para ir para a página principal

JBS compra empresa europeia Vivera; Minerva concluiu emissão de debêntures

Atualizado em -

JBS compra empresa europeia Vivera; Minerva concluiu emissão de debêntures Envato
► Emissão de CRAs tendo o BNDES como garantidor de crédito captam R$ 29 milhões► JBS anuncia investimentos de R$ 1,7 bilhão em sete unidades no RS até 2023

A JBS (JBSS3) comunicou aos seus acionistas nesta segunda-feira (19) que fechou um acordo para aquisição da totalidade das ações da Vivera - terceira maior produtora de produtos plant-based na Europa - por um valor de empresa (enterprise value) de € 341 milhões.

"A aquisição da Vivera fortalece e impulsiona a plataforma global de produtos plant-based da JBS e agrega conhecimento técnico e capacidade de inovação. A tendência global é de forte crescimento no consumo dessa categoria. A operação vai ampliar o portfólio da JBS com uma marca consolidada na preferência dos consumidores, reforçando o foco da companhia em produtos de valor agregado", afirma Guilherme Perboyre Cavalcanti, Diretor de Relações com Investidores.

A empresa adquirida conta com um amplo portfólio de produtos da marca Vivera, além de produtos private label em mais de 25 países e tem presença relevante nos mercados da Holanda, Reino Unido e Alemanha. A compra inclui três unidades produtivas e um centro de pesquisa e desenvolvimento localizados na Holanda.

Minerva concluiu emissão de debêntures

Nesta segunda-feira (19), a Minerva (BEEF3) informou ao mercado que, no dia 16 de abril, concluiu com sucesso a oferta da 10ª emissão de debêntures simples, no montante de R$ 1,6 bilhão, sendo a 1ª série de R$ 1,2 bilhão com vencimento em 7 anos, com remuneração de 5,5034% ao ano, atualizado pelo IPCA, e a 2ª série de R$ 400 milhões com vencimento em 10 anos, com remuneração de 5,5780% ao ano, também atualizado pelo IPCA. A empresa escolheu fazer o swap do indexador, deixando o custo final do instrumento em aproximadamente 128% CDI para ambas as séries.

Segundo a companhia, os recursos da operação serão utilizados para reforçar a estrutura de capital, com foco na redução de dívidas em moeda estrangeira que apresentarem custo mais elevado.

"Essa é mais uma iniciativa da companhia em busca do aperfeiçoamento de sua estrutura de capital. Nesse sentido, vale destacar a recente emissão das Notas 2031, comunicada ao mercado em 3 de março de 2021, e que foi utilizada no processo de recompra das Notes 2026, o que nos permitiu uma redução de mais de 200 bps no custo anual desta parcela do endividamento e também faz parte do processo de liability management da Minerva Foods, com objetivo de alongar o perfil de endividamento, reduzir a dívida bruta e o custo da estrutura de capital da companhia", explicou a empresa de alimentos, em comunicado.

Clique e fale com um especialista VLG Investimentos

Clique e fale com um especialista VLG Investimentos

Podcast +Q1Minuto

Entenda melhor como lucrar com o crescimento do setor do agronegócio brasileiro. Desde a liberação do crédito ao produtor rural até a possibilidade de rentabilizar a sua carteira com a aplicação em ativos como CRAs, LCAs e Derivativos.

Ouça o episódio do +Q1Minuto sobre como investir no Agronegócio e amplie o seu conhecimento sobre as oportunidades no setor através dos investimentos nas commodities agrícolas.

Relacionados:

► Emissão de CRAs tendo o BNDES como garantidor de crédito captam R$ 29 milhões► JBS anuncia investimentos de R$ 1,7 bilhão em sete unidades no RS até 2023

Leia mais: