clique para ir para a página principal

Banco Central Europeu mantém taxa de juros e programa de estímulos

Atualizado em -

Banco Central Europeu mantém taxa de juros e programa de estímulos
► Balança comercial registra superávit de US$ 3 bilhões na terceira semana de abril► Projeção de viagens aéreas pelo mundo em 2021 sofre redução de 43%

O Banco Central Europeu (BCE) divulgou, nesta quinta-feira (22), que a política monetária permanecerá inalterada, mantendo forte estímulo mesmo após anunciar que há razões para esperar uma firme recuperação para economias da zona do euro em 2021.

Entre essas políticas, o BCE tem mantido os custos de empréstimos perto de mínimas recordes através de compras de títulos para fazer o bloco de 19 países superar a recessão que manteve escolas, lojas, restaurantes e hotéis fechados durante a maior parte do ano passado.

A compra de títulos continuará agressiva, em € 1,85 trilhões, até pelo menos março de 2022 ou até quando a crise da Covid-19 for superada. Já as principais taxas de juros, como a de refinanciamento e a de depósitos, permanecem em 0% e -0,5%, respectivamente, com o compromisso de manter os empréstimos de longo prazo aos bancos e manter o fluxo de crédito às empresas e às famílias.

Assim como a compra de títulos, a compra de ativos também permanece sem mudanças. Ficam em € 120 bilhões, a um ritmo mensal de € 20 bilhões, “pelo tempo que for necessário”.

Isso porque, a Europa viu o ressurgimento do vírus e teve dificuldades com o avanço da vacinação em alguns países no começo deste ano. Logo, as empresas ainda enfrentam restrições nos serviços e o bloco econômico voltou para a recessão.

“Os dados econômicos recebidos, pesquisas e indicadores de alta frequência sugerem que a atividade econômica pode ter contraído novamente no primeiro trimestre deste ano, mas apontam para uma retomada do crescimento no segundo trimestre”, disse Christine Lagarde, presidente do Banco Central Europeu.

Ela enfatizou que a situação geral ainda está “nublada pela incerteza”, devido a fatores que incluem possível disseminação de novas variantes do vírus, riscos para as condições de financiamento e pressões contínuas sobre setores em dificuldades da economia.

“O avanço das campanhas de vacinação, que deve permitir um relaxamento gradual das medidas de contenção, deve abrir caminho para uma retomada firme da atividade econômica ao longo de 2021”, disse Lagarde.

Relacionados:

► Balança comercial registra superávit de US$ 3 bilhões na terceira semana de abril► Projeção de viagens aéreas pelo mundo em 2021 sofre redução de 43%

Leia mais: