clique para ir para a página principal

Grupo Farmacêutico AstraZeneca registra lucro líquido de US$ 1,56 bilhão no 1T21

Atualizado em -

Grupo Farmacêutico AstraZeneca registra lucro líquido de US$ 1,56 bilhão no 1T21 REUTERS/Dado Ruvic
► Anvisa rejeita uso da vacina russa Sputinik V ► Butantan começa produção da primeira vacina contra Covid-19 feita integralmente no Brasil

O Grupo Farmacêutico AstraZeneca (AZN) registrou lucro líquido de US$ 1,56 bilhão no primeiro trimestre de 2021. O balanço, divulgado nesta sexta-feira (30), aponta um aumento de 100% ante igual período do ano anterior, em que a companhia registrou lucro de US$ 780 milhões.

A receita no período subiu 15,27%, de US$ 6,35 bilhões para US$ 7,32 bilhões, na comparação anual. O destaque de vendas ficou para os medicamentos contra o câncer Tagrisso, Imfinzi e Lynparza, que cresceram 20% no período, somando US$ 1,61 bilhão.

As vendas de vacinas contra a Covid-19 representaram apenas 4% da receita da empresa, cerca de US$ 275 milhões. Desse montante, US$ 224 milhões foram da Europa, o que equivale a cerca de US$ 4 por dose. O motivo para um valor tão baixo é o compromisso firmado pela empresa de não lucrar com sua vacina enquanto durar a pandemia de Covid-19, vendendo-a a preço de custo.

Outras farmacêuticas como Pfizer e a empresa de biotecnologia Moderna, cobram cerca de cinco vezes mais por dose e esperam lucros de US$ 15 bilhões e US$ 18 bilhões, respectivamente, nestes três primeiros meses do ano.

A vacina AstraZeneca sofreu atrasos de entrega na Europa e a eficácia do fármaco foi questionada por possíveis efeitos colaterais. Atualmente, a vacina do grupo anglo-sueco é aplicada de forma restrita na maioria dos países da União Europeia devido aos riscos de casos isolados e raros de trombose. A Dinamarca, por exemplo, a proibiu totalmente.

Fiocruz entrega 6,5 milhões de doses da vacina AstraZeneca nesta sexta

A Fiocruz entrega nesta sexta-feira (30) cerca de 6,5 milhões de doses da vacina da AstraZeneca contra a Covid-19 produzidas em Bio-Manguinhos. É a maior entrega deste imunizante já feita pela fundação.

Com a nova remessa, a Fiocruz chegará a 19,7 milhões de doses entregues no mês de abril, superando em quase um milhão a previsão para o mês, que era de 18,8 milhões. O maior fornecimento feito até agora foi o da semana passada, de 5,2 milhões.

Ficou acordado entre a fundação e o Programa Nacional de Imunizações (PNI), o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde que as entregas semanais de vacinas serão feitas sempre às sextas-feiras.

Para maio, a previsão é fornecer 21,5 milhões de doses. Com a chegada, no sábado passado, de novo lote de Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) vindo da China, a fundação tem garantida sua produção até meados de junho.

Relacionados:

► Anvisa rejeita uso da vacina russa Sputinik V ► Butantan começa produção da primeira vacina contra Covid-19 feita integralmente no Brasil

Leia mais: