clique para ir para a página principal

Ibovespa Futuro recua, dólar oscila e mercado repercute aumento na Selic e balanços do 1º tri

Atualizado em -

Ibovespa Futuro recua, dólar oscila e mercado repercute aumento na Selic e balanços do 1º tri Freepik
► GPA recupera perdas e registra lucro de R$ 113 milhões no 1T21; Assaí aumenta o lucro em 113% no período► Além de elevar a Selic a 3,50% ao ano, BC sinaliza novo aumento no próximo mês

Clique e fale com um especialista VLG Investimentos

Clique e fale com um especialista VLG Investimentos

Nesta quinta-feira (6), a sessão segue com leves altas para os índices futuros dos EUA. Investidores por lá aguardam pelos dados do auxílio desemprego no país. Na Zona do Euro, destaque para a surpresa positiva com as vendas do varejo, com alta de 2,7% em março ante a projeção de 1,5% de alta.

Por aqui no Brasil, atenção para as reações à decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), que elevou a Selic em 0,75 ponto, para 3,50%, e indicou a intenção de fazer novo aperto da mesma magnitude em sua próxima reunião, em junho. Além disso, a temporada de balanços segue movimentada, com atenção para os números da Ambev, Ultrapar, Braskem. Após o fechamento do pregão, serão divulgados os resultados de B2W, Lojas Americanas, B3, Banco do Brasil, entre outros.

Em relação às bolsas mundiais, os índices futuros Dow Jones, S&P 500 e Nasdaq indicam altas de 0,07%, 0,09%, 0,18%, respectivamente. Ontem (5), o índice Dow Jones chegou a subir 200 pontos e fechou a 34.230 pontos, alta de 0,29%. O S&P subiu 0,1%, enquanto que o Nasdaq Composto perdeu 0,4%. Esses índices foram prejudicados por empresas do setor de tecnologia. Netflix, Amazon e Facebook estão entre os nomes que perderam mais de 1% nesta quarta-feira. Investidores americanos aguardam a divulgação de dados sobre desemprego. Economistas ouvidos pela Dow Jones esperam 527 mil novos pedidos de seguro desemprego. Na sexta, serão divulgados dados sobre criação de empregos. Em março, foram adicionados 916 mil novos empregos, por isso há a expectativa de que o indicador bata 1 milhão novos empregos. Também é aguardada a divulgação dos resultados de empresas importantes, como Regeneron, ViacomCBS e Kellogs, antes da abertura do mercado. Dropbox, Beyond Meat, Shake Shack e Square devem reportar antes do fechamento do mercado.

Na Ásia, as bolsas têm resultados variados entre si nesta quinta, com investidores aguardando a divulgação de dados sobre desemprego nos Estados Unidos, que devem trazer pistas sobre qual política será adotada pelo Fed, o Banco Central americano. As bolsas japonesas voltaram a funcionar após ficarem fechada em decorrência do feriado. O índice Nikkei subiu 1,8%, enquanto que o Topix subiu 1,54%. O Kospi, que também fechou na quarta, subiu 1%. Em Hong Kong, o índice Hang Seng ficou entre ganhos e perdas antes de subir 0,61%. Ações da China continental também abriram pela primeira vez em maio, após passarem os três primeiros dias da semana fechadas para o feriado. O índice Shanghai composto caiu 0,16%, enquanto que o componente Shenzhen caiu 1,58%.

Na Europa, o índice futuro Stoxx 600 indica queda de 0,15%. Investidores aguardam o anúncio da política monetária do Banco da Inglaterra. A expectativa é de que o banco mantenha políticas de estímulo econômico, e a taxa de juros referencial inalteradas, apesar de indícios de aceleração da economia do Reino Unido. Na agenda econômica, foi divulgado o PMI (índice do gerentes de compras) composto do Reino Unido, relativo a abril, que marcou 60,7 pontos, acima da projeção de analistas, de 60 pontos, e da prévia de 56,4 pontos. O PMI do setor de serviços marcou 61 pontos, acima da projeção de 60,1 pontos e da prévia de 56,3 pontos. Qualquer pontuação acima de 50 indica expansão; abaixo, retração. Mas o destaque ficou com os dados de vendas no varejo em março na Zona do Euro, que subiram 12% na comparação anual e 2,7% na comparação mensal. A projeção era de alta de 9,6% na comparação anual e de 1,5% na comparação mensal. No mês anterior, houve queda de 1,5% na comparação anual e alta de 4,2% na mensal.

No Brasil, o último pregão de ações fechou em alta de 1,57%, a 119.564 pontos e volume financeiro negociado de R$ 30,72 bilhões. O Banco Central anunciou ontem a segunda alta consecutiva de 0,75 ponto percentual da taxa básica de juros (Selic), para 3,50%, e indicou a intenção de fazer novo aperto da mesma magnitude em sua próxima reunião, em junho.

Sobre as commodities, o petróleo Brent é negociado com queda de 0,55%, cotado a US$68,58 o barril. O minério de ferro no porto de Qingdao (China) fechou em alta de 4,85%, cotado a US$201,88.

Cenário corporativo

A Azul (AZUL4) divulga seu resultado do primeiro trimestre nesta manhã. A Ambev (ABEV3), por sua vez, divulgou lucro líquido de R$ 2,73 bilhões no período. B2W (BTOW3), B3 (B3SA3), Banco do Brasil (BBAS3), JHSF (JHSF3), Lojas Americanas (LAME4), Banco BMG (BMGB4), Burger King (BKBR3), Camil (CAML3), Neoenergia (NEOE3) e Sequoia (SEQL3) devem divulgar seus números após o fechamento do mercado.

Entre as companhias que divulgaram seus resultados, o lucro líquido da Ultrapar (UGPA3) no primeiro trimestre de 2021 chegou a R$ 137,44 milhões, uma queda de 19% na comparação com o mesmo período de 2020.

A Braskem (BRKM5) reverteu o prejuízo de R$ 3,649 bilhões do primeiro trimestre de 2020 em lucro líquido de R$ 2,494 bilhões entre janeiro e março deste ano.

A operadora de telecomunicações TIM (TIMS3), por sua vez, registrou lucro líquido de R$ 277 milhões no primeiro trimestre deste ano, um aumento de 57,9% sobre igual período de 2020. O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) somou R$ 2 bilhões, alta de 4,5% na comparação anual. A TIM ainda aprovou um acordo com a IHS Fiber Brasil para a venda de 51% da FiberCo – empresa da operadora que reúne os ativos de rede e prestação de serviços de infraestrutura. A TIM vai manter os demais 49% da FiberCo, cujo valor (Enterprise Value) ficou estabelecido em R$ 2,6 bilhões.

O GPA (PCAR3) teve lucro líquido de R$ 127 milhões no primeiro trimestre, ante prejuízo de R$ 119 milhões um ano antes, favorecido por aumento das vendas e redução das despesas.

A geradora de energia AES Brasil (AESB3) registrou lucro líquido de R$ 93 milhões no primeiro trimestre do ano, uma alta de 23% na comparação anual. A Companhia Paranaense de Energia - Copel (CPLE6) registrou no primeiro trimestre de 2021 lucro líquido de R$ 795,174 milhões, o que representa uma alta de 55,6% na comparação anual. A transmissora de energia elétrica Taesa (TAEE11) registrou lucro líquido de 555,9 milhões de reais no primeiro trimestre de 2021, um avanço de 42,1% na comparação anual, informou a companhia nesta quarta-feira em balanço financeiro. A Engie Brasil (ENBR3) Energia lucrou R$ 529 milhões no primeiro trimestre, alta de 3,3% ante o mesmo período de 2020, informou a companhia nesta quarta-feira.

Por fim, a Totvs (TOTS3) teve alta de 31% no lucro do primeiro trimestre, a R$ 80,65 milhões, com impulso de ganhos de clientes em assinaturas de software e de serviços como computação em nuvem.

Relacionados:

► GPA recupera perdas e registra lucro de R$ 113 milhões no 1T21; Assaí aumenta o lucro em 113% no período► Além de elevar a Selic a 3,50% ao ano, BC sinaliza novo aumento no próximo mês

Leia mais: