clique para ir para a página principal

SulAmérica registra lucro de R$ 54 milhões no 1T21; Notre Dame tem prejuízo de R$ 27,9 milhões

Atualizado em -

SulAmérica registra lucro de R$ 54 milhões no 1T21; Notre Dame tem prejuízo de R$ 27,9 milhões Pexels
► Hapvida movimenta R$ 2,7 bilhões em oferta subsequente de ações; Papel foi precificado em R$ 15► Rede D’Or e Amil anunciam retomada de relacionamento comercial entre as redes de saúde

Em balanço divulgado na noite desta terça-feira (11), a SulAmérica (SULA11) divulgou ter registrado um lucro líquido de R$ 54 milhões no 1T21. O valor representa uma queda de 22,8% ante o mesmo período de 2020, considerando apenas operações continuadas.

O grupo ressaltou ainda que a alíquota efetiva de imposto de renda e contribuição social atingiu 52,7% no primeiro trimestre de 2021, comparado a apenas 4% no mesmo período do ano passado.

"A alíquota foi afetada principalmente pelo não reconhecimento de créditos tributários no período", apontou a seguradora. Segundo o comunicado, o intervalo de janeiro a março de 2020 foi beneficiado por declaração de Juros sobre Capital Próprio (JCP), que não ocorreu em 2021.

No primeiro trimestre deste ano, o resultado operacional da SulAmérica cresceu 5,4%, chegando a R$ 5,192 bilhões. De acordo com a seguradora, a linha foi impulsionada pelo desempenho dos segmentos de Saúde, Odonto e Previdência. Na comparação com o primeiro tri de 2020, ocorreu um aumento de 395 mil beneficiários na base dos planos coletivos de saúde e odonto (totalizando 4,2 milhões de segurados) - uma alta anual de 10,4%.

Nas áreas de saúde e odonto, as receitas aumentaram 5,8% em relação ao primeiro trimestre de 2020, para R$ 4,8 bilhões.

Covid

A pandemia do coronavírus gerou um forte impacto sobre os atendimentos realizados pela companhia no primeiro trimestre deste ano. No setor de seguro de vida, a sinistralidade chegou a 81,1% entre janeiro e março de 2021. Um ano antes, era de 49,1%.

De acordo com os dados divulgados pela SulAmérica, os sinistros relacionados diretamente ao pagamento de indenizações por conta da Covid-19 somaram R$ 30 milhões no trimestre. Desde o início da pandemia até 11 de maio, 20.427 beneficiários foram internados devido à doença. Desse total, 9.667 precisaram de UTI e 1.403 vieram a falecer.

NotreDame

Após registrar um lucro de R$ 160,4 milhões no primeiro trimestre de 2020, a Notre Dame Intermédica (GNDI3) teve um prejuízo líquido de R$ 27,9 milhões neste 1T21. De acordo com a empresa, a reversão se deve ao aumento da sinistralidade no período devido a pandemia da Covid-19.

O balanço mostra que a sinistralidade caixa cresceu 10,1%, subindo para 78,3% nos primeiros três meses deste ano, "em meio ao aumento de custos com internações hospitalares nas redes própria e credenciada, alta frequências de exames e o tratamento de longa permanência dos pacientes com Covid".

Em seu balanço, a companhia informa que o item "contas médicas caixa", dos custos e serviços prestados, aumentou 30,3% em relação ao mesmo trimestre de 2020. Chegou a quase R$ 2,3 bilhões, superior a expansão de 13,4% da receita líquida, que foi de R$ 2,9 bilhões.

O resultado do Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado caiu 52,8%, para R$ 189,3 milhões e a margem recuou para 6,5%, ante 15,7% no mesmo trimestre de 2020.

"Ao longo do 1T21, o GNDI dedicou-se à conclusão das aquisições assinadas em 2020, simultaneamente com as atividades relacionadas à combinação de negócios com a Hapvida. As oportunidades de M&As continuarão a impulsionar a consolidação do mercado", ressaltou a Notre Dame em seu balanço divulgado.

Relacionados:

► Hapvida movimenta R$ 2,7 bilhões em oferta subsequente de ações; Papel foi precificado em R$ 15► Rede D’Or e Amil anunciam retomada de relacionamento comercial entre as redes de saúde

Leia mais: