clique para ir para a página principal

Petrobras tem lucro de R$ 1,16 bilhão no 1T21; No mesmo tri em 2020, estatal teve perdas de R$ 48,5 bi

Atualizado em -

Petrobras tem lucro de R$ 1,16 bilhão no 1T21; No mesmo tri em 2020, estatal teve perdas de R$ 48,5 bi Flávio Emanuel | Agência Petrobras
► Ciclo de alta das commodities impulsiona Ibovespa► Britânica BP tem lucro de US$ 4,67 bilhões no 1T21 e reverte prejuízo

Com a alta global do petróleo e as vendas aumentando, a Petrobras (PETR4) lucrou R$ 1,167 bilhão no primeiro trimestre de 2021, revertendo um prejuízo de R$ 48,52 bilhões anotado nos mesmos meses do ano passado.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) de R$ 48,94 bilhões representou uma ampliação de 30,5% sobre igual período do ano de 2020 e de 4,1% em relação ao 4T20. Já o Ebitda ajustado recorrente alcançou R$ 47,76 bilhões, em alta de 29,3% na base anual.

Em sua contabilidade, a Petrobras utilizou o câmbio de R$ 5,47 e uma cotação média de Brent de US$ 60,90 por barril.

As receitas de venda foram 14,2% maiores do que no primeiro trimestre de 2020 - chegando a R$ 86,17 bilhões - ajudando a empresa a encher o caixa. O comércio de óleo diesel foi o que mais contribuiu - cresceu 39,6% comparado ao mesmo período do ano anterior e 26,7% ante o quarto trimestre. O valor total comercializado foi de R$ 25,16 bilhões.

Ao todo, a empresa arrecadou R$ 52 bilhões com a venda de derivados. O conjunto dos seus produtos gerou receita de R$ 86,17 bilhões, dos quais R$ 62,28 bilhões apenas no mercado interno.

A receita líquida divulgada foi de R$ 86,17 bilhões, uma expansão de 14,2% ante os três primeiros do ano passado.

A receita com exportações atingiu R$ 22,8 bilhões, volume superior em 16,2% quando comparado ao 4T20, mas 7,7% abaixo na comparação ano a ano.

"Houve aumento da participação da China nas exportações no primeiro trimestre de 2021, atingindo 56%. Cingapura se manteve como o principal destino das exportações de derivados, com 75%, aproveitando as oportunidades trazidas pelo IMO 2020", pontuou a estatal em seu comunicado.

Redução da dívida

Nos primeiros três meses deste ano, o endividamento líquido da Petrobras caiu de US$ 63,17 bilhões para US$ 58,42 bilhões, uma retração de 7,5% em comparação ao fechamento do ano de 2020. Comparado ao mesmo período do ano anterior, a queda chegou a 20,1%.

O general Joaquim Silva e Luna, em seu primeiro resultado trimestral no comando da Petrobras, destacou que o resultado da estatal no 1T21 demonstra a capacidade da empresa de gerar resultados sustentáveis mesmo durante um período desafiador.

"A Petrobras continuará na sua trajetória de geração de valor, com uma gestão pautada na transparência, no diálogo e na racionalidade", disse Luna, completando que "os investimentos da companhia estarão concentrados nos ativos em que somos reconhecidos como líderes mundiais".

O diretor Financeiro da Petrobras, Rodrigo Alves, afirmou que até abril a empresa reduziu a dívida bruta em mais US$ 3,2 bilhões, após já ter abatido US$ 4,6 bilhões no primeiro trimestre de 2021. A dívida bruta total fechou em US$ 71 bilhões no final de março.

"A geração de caixa, a contínua gestão da dívida, juntamente com a entrada de recursos provenientes da venda de ativos permitiu reduzir a dívida de maneira relevante no primeiro trimestre rumo à nossa meta de US$ 67 bilhões no final de 2021", falou Alves em vídeoconferência, após a divulgação do resultado da petroleira.

Relacionados:

► Ciclo de alta das commodities impulsiona Ibovespa► Britânica BP tem lucro de US$ 4,67 bilhões no 1T21 e reverte prejuízo

Leia mais: