clique para ir para a página principal

Rede D'or fará oferta restrita primária e secundária que pode girar R$ 4,5 bi

Atualizado em -

Rede D'or fará oferta restrita primária e secundária que pode girar R$ 4,5 bi Envato
► O que é bookbuilding e quando é utilizado?► Rede D'or tem lucro líquido recorde de R$ 402,4 milhões no 1º trimestre

(Estadão Conteúdo) - A Rede Dor São Luiz informou nesta quarta-feira (19) detalhes da oferta de ações que pode levantar até R$ 4,5 bilhões, considerando o valor dos papéis da empresa no fechamento de ontem, de R$ 71,90. Considerando as ações adicionais, a operação pode chegar a R$ 6,751 bilhões. A empresa fará uma oferta pública de distribuição primária e secundária restrita de, inicialmente, 62.600.000 ações ordinárias, podendo ser acrescenta de até 50%.

A operação engloba a distribuição primária de 25.040.000 ações ordinárias a serem emitidas pela companhia e a distribuição secundária de, inicialmente, 37.560.000 ações ordinárias de titularidade de fundos da gestora Carlyle e o Delta FM&B Fundo de Investimento em Ações, que são acionistas da empresa.

A quantidade de ações inicialmente ofertada poderá ser acrescida em virtude da possibilidade de colocação das ações adicionais, com esforços restritos de colocação, nos termos da Instrução CVM 476. Até a data de conclusão do Procedimento de Bookbuilding a quantidade de Ações inicialmente ofertada, poderá ser acrescida em até 50% do total de Ações inicialmente ofertado, ou seja, em até 31.300.000 ações ordinárias, as quais serão destinadas a atender eventual excesso de demanda que venha a ser constatado no momento em que for fixado o preço por ação.

A operação está sob a coordenação do Bank of America Merrill Lynch (Coordenador Líder), do Banco BTG Pactual, do Banco JPMorgan, do Banco Bradesco BBI, do Banco Itaú BBA, do Banco Safra, do UBS Brasil e a XP Investimentos. Simultaneamente serão feito esforços de colocação das ações no exterior.

Relacionados:

► O que é bookbuilding e quando é utilizado?► Rede D'or tem lucro líquido recorde de R$ 402,4 milhões no 1º trimestre

Leia mais: