clique para ir para a página principal

Petrobras vai investir R$ 27 mi em projetos para recuperar e conservar florestas

Atualizado em -

Petrobras vai investir R$ 27 mi em projetos para recuperar e conservar florestas Pexels
► Novas regras para investimentos ESG entram em vigor na União Europeia; Temática também cresce no Brasil► Força-tarefa da AGU vai atuar por mais um ano em defesa da Amazônia

(Estadão Conteúdo) - A Petrobras vai investir R$ 27 milhões até 2023 em oito novos projetos voltados para a conservação e recuperação de florestas e áreas naturais em diversos biomas do país, por meio do Programa Petrobras Socioambiental.

Os novos projetos, desenvolvidos em estados das regiões Nordeste, Norte e Sudeste do país, também se relacionam com o objetivo global declarado pela Assembleia Geral das Nações Unidas da 'Década de Restauração de Ecossistemas', de aumentar os esforços para restaurar ecossistemas degradados, criando medidas eficientes para combater a crise climática, alimentar, hídrica e impactos negativos à biodiversidade.

A estatal lançou uma seleção pública do Programa, no valor de R$ 4 milhões, para recuperação de bacias hidrográficas e ecossistemas de manguezais em quatro Estados (RJ, SP, PR e SC). A estimativa é que cerca de até 30 projetos, ambientais e sociais, sejam selecionados para desenvolverem suas atividades durante o período de dois anos.

"Por meio do sequestro de carbono realizado pelas árvores, as iniciativas irão contribuir para evitar emissões de gases de efeito estufa ao longo do seu tempo de atuação. Além disso, visam a promover diversos benefícios sociais e ambientais", disse a estatal em nota, destacando a conservação da biodiversidade, a capacitação de comunidades e a geração de renda pelo suporte às cadeias produtivas locais, a segurança alimentar, o desenvolvimento de inventários florestais e a constituição de base de dados.

Em 2020, os projetos apoiados pela Petrobras voltados à recuperação e conservação de áreas naturais na Amazônia, Mata Atlântica, Cerrado, Caatinga e Pampa registraram, como resultado acumulado, uma contribuição potencial estimada de 870 mil toneladas de CO2 em fixação de carbono e emissões evitadas, além de 95 mil hectares recuperados ou conservados, 220 nascentes conservadas, 35 milhões de hectares de áreas protegidas com gestão fortalecida e manejo sustentável e mais de 960 mil mudas plantadas, entre outros benefícios.

Em seu Planejamento Estratégico 2021-2025, a Petrobras prevê investir cerca de US$ 1 bilhão em compromissos ambientais, com foco em inovações tecnológicas para descarbonizar as operações, no desenvolvimento de combustíveis mais modernos, sustentáveis e com maior qualidade e no desenvolvimento de competências para o futuro.

Relacionados:

► Novas regras para investimentos ESG entram em vigor na União Europeia; Temática também cresce no Brasil► Força-tarefa da AGU vai atuar por mais um ano em defesa da Amazônia

Leia mais: