clique para ir para a página principal

Do início da carreira profissional até a aposentadoria, como preservar o patrimônio acumulado

Atualizado em -

Do início da carreira profissional até a aposentadoria, como preservar o patrimônio acumulado Pexels
► Qual a diferença entre planos de previdência VGBL e PGBL► XP Seguros lidera captação de previdência em 2021; especialistas reforçam importância da ferramenta

Por razões distintas, jovens no início da carreira profissional e aposentados costumam pensar que não necessitam da contratação de ferramentas de proteção patrimonial.

Geralmente, quem está começando a sua jornada no mercado de trabalho naturalmente tem uma renda mais baixa. No entanto, tem a seu favor fatores como o tempo para realizar investimentos mais longos e a dependência financeira dos pais, pois muitos ainda não moram sozinhos e não têm de bancar todas as despesas de manutenção de um lar.

"Independente da renda ser menor, quando a gente fala de percentuais de acumulação para o futuro, é um ponto favorável começar o quanto antes. Em resumo, o jovem tem uma despesa mensal mais baixa e o tempo a seu favor", afirma Carolina Cipriani, sócia e especialista da VLG Seguros.

Outra vantagem para os jovens é o fato de que quanto mais cedo for feito um seguro, por exemplo, a precificação dele ficará mais barata e isso ajudará na construção de um planejamento financeiro de sucesso.

"É importante, no caso dos jovens, principalmente, pensar nas ferramentas de cobertura em vida para garantir a construção do patrimônio dele. Hoje, já falamos sobre coberturas que vão até os 80 anos. Então, desde já, o jovem pode congelar o risco, congelar o valor da cobertura [a depender do modelo contratado] e ficar segurado por uma vida toda", explica a especialista em Gerenciamento de Riscos na VLG Seguros, Leticia Prata.

Aposentados

Em um momento oposto na vida, as pessoas que chegaram ao tão sonhado momento da aposentadoria, após acumularem patrimônio ao longo de décadas, tendem a pensar que nesta hora não precisam mais se preocupar com a manutenção do seus recursos e seu padrão de vida.

O último levantamento mais amplo divulgado pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostrou que o país tinha 30,7 milhões de pessoas com alguma renda de aposentadoria ou pensão no ano de 2020, 19% do que em 2012 (25,8 milhões).

Existem dois pontos de atenção importantes para quem está nesta fase da aposentadoria: o planejamento sucessório do patrimônio e a própria proteção em vida, independente da idade. Por mais que a pessoa já tenha constituído um montante financeiro que, eventualmente, pode ser usado para custear algum tratamento de saúde, por exemplo, estar segurado da maneira correta fará com que esse patrimônio acumulado permaneça protegido.

"Atualmente temos produtos vitalícios e que também servem para custear a sucessão patrimonial, que já tem custos bem elevados no Brasil e a tendência é que fiquem cada vez maiores. Esses produtos de seguro são a forma mais inteligente que temos hoje de garantir essa sucessão de uma forma mais tranquila", destaca Leticia Prata.

Impacto nas famílias

O aumento das vítimas de Covid-19 no país coincide com o crescimento no número de mortes de aposentados no Brasil, em um nível bem acima do registrado entre 2018 e 2019.

Em janeiro de 2021, o número de mortes de aposentados pelo INSS foi de 61.748, 31,01% a mais que os 47.131 registrados no mesmo mês de 2020. Em fevereiro deste ano, o aumento foi de 21,8% (52.952 mortos contra 43.443 em fevereiro de 2020).

Essas perdas de vidas também geram impacto na renda familiar. Um estudo da economista Ana Amélia Camarano, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), apontou que em 20,6% dos lares brasileiros a renda dos idosos representa mais da metade dos rendimentos totais familiares. De acordo com a pesquisa, se todos esses idosos morressem, o rendimento médio por pessoa nas residências afetadas cairia de R$ 1.621,80 para R$ 425,50, uma redução de quase 75%.

No mesmo estudo, que projetou o impacto da Covid-19 na renda das famílias brasileiras, a economista do Ipea ressaltou que 73,8% das mortes pelo novo coronavírus ocorriam entre pessoas com 60 anos ou mais.

Podcast Hora de Planejar

Para aprender mais sobre as possibilidades de ferramentas disponíveis para ter uma maior proteção da sua saúde e de seu patrimônio, ouça os episódios da série semanal do podcast Hora de Planejar. As especialistas da VLG Seguros, Carolina Cipriani e Leticia Prata, explicam como organizar os gastos pessoais, melhorar a saúde financeira e investir no planejamento do futuro com qualidade de vida.

Relacionados:

► Qual a diferença entre planos de previdência VGBL e PGBL► XP Seguros lidera captação de previdência em 2021; especialistas reforçam importância da ferramenta

Leia mais: