clique para ir para a página principal

B3 estreia novo ETF com as 50 empresas mais inovadoras dos EUA

Atualizado em -

B3 estreia novo ETF com as 50 empresas mais inovadoras dos EUA Freepik
► ETFs: Cesta de ativos pode ser porta de entrada para a Bolsa► B3 disponibiliza mais 9 BDRs de ETF para qualquer investidor a partir da próxima segunda (21)

Um novo fundo de índice (ETF), direcionado a investidores em geral, passa a ter suas cotas negociadas no mercado da bolsa de valores brasileira nesta quarta-feira (23). Com nome de It Now S&P Kensho Moonshots, e código de negociação SHOT11, o ETF tem por objetivo acompanhar a evolução das 50 ações negociadas nas bolsas americanas classificadas como as mais inovadoras em cada um dos seus setores de atuação.

O S&P adota como critérios informações sobre o quanto de investimento no negócio é destinado à pesquisa e ao desenvolvimento de inovações, a missão da companhia e qual é a cultura corporativa para montar o índice It Now.

Para entrarem na carteira, as ações precisam ter uma capitalização mínima de mercado de US$ 100 milhões e terem negociado um volume diário de pelo menos US$ 1 milhão nos últimos três meses.

No geral, o investidor brasileiro não tem tanta familiaridade com as companhias que fazem parte deste grupo tecnológico. No final de maio, as cinco ações de maior peso eram: Microvision, Vuzix, The ExOne Company, ImmunityBio e Vir Biotechnology.

Com mais esse lançamento, o investidor brasileiro passa a ter 35 ETFs de renda variável disponíveis na B3, além de outros este de renda fixa.

Resumo sobre o ETF:

  • O It Now S&P Kensho Moonshots fundo de índice, constituído sob a forma de condomínio aberto, é uma comunhão de recursos destinada à aplicação em ativos financeiros com o objetivo de refletir as variações de rentabilidade, deduzidas taxas e despesas, do índice S&P® KENSHO® MOONSHOTS, calculado pela S&P®.

  • O objetivo do fundo será alcançado principalmente por meio do investimento nas ações que compõem o Índice que são negociadas nas bolsas internacionais.

  • As aplicações do fundo deverão obedecer, no que couber, as vedações aplicáveis às EFPC e RPPS expressamente transcritas neste Regulamento, cabendo exclusivamente aos cotistas, no entanto, o controle e consolidação dos respectivos limites de alocação e concentração a eles aplicáveis, nos termos das regulamentações a que estão sujeitos.

  • O fundo está autorizado a realizar investimentos no exterior, sem qualquer limitação.

O que é um ETF?

A sigla ETF é a abreviação em inglês de Exchange-Traded Fund. Em sua maioria, esses fundos contam com uma gestão passiva, com taxa de administração mais baixa e buscam replicar índices de mercado, como o Ibovespa, o S&P 500 (índice da bolsa americana) e também índices globais.

Na prática, o investidor faz uma aplicação em um ETF, que é como se fosse uma cesta de ativos, sem precisar acompanhar o desempenho de cada um dos papéis que compõem o investimento. Esse trabalho é feito pela gestora do ativo, que preenche a cesta de modo a ter a rentabilidade atrelada ao índice referência.

Entre as principais vantagens está a facilidade para investir (basta escolher a cesta de ativos que mais lhe agrada) e a possibilidade de começar aplicações com baixos valores. Para entender melhor sobre os ETFs, leia o texto do Mercado1Minuto sobre o tema.

Podcast +Q1Minuto

A ampliação do acesso aos ETFs na bolsa brasileira e as negociações recordes destes ativos atrelados ao dólar já foram o tema central de episódios do podcast +Q1Minuto.

Nos programas, o Sócio e Economista da VLG Investimentos, Leonardo Milane, apontou algumas vantagens da diversificação da carteira dos investidores por conta da abertura do mercado internacional aos brasileiros através da B3.

Relacionados:

► ETFs: Cesta de ativos pode ser porta de entrada para a Bolsa► B3 disponibiliza mais 9 BDRs de ETF para qualquer investidor a partir da próxima segunda (21)

Leia mais: