clique para ir para a página principal

Representantes do Google, Facebook e Twitter serão convocados para depor na CPI da Covid

Atualizado em -

Representantes do Google, Facebook e Twitter serão convocados para depor na CPI da Covid Agência Senado
► Câmara aprova texto-base da MP de privatização da Eletrobras► Senado aprova MP que aumenta a tributação sobre o lucro dos bancos

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga a atuação do governo no enfrentamento à pandemia da COvid-19 aprovou a convocação de representantes do Google, Facebook e Twitter para questionar o motivo pelo qual posts contrários às medidas sanitárias publicados pelo presidente Jair Bolsonaro não foram deletados das plataformas.

"O senhor presidente da República tem o direito de falar a besteira que quiser, ele só não tem direito de produzir o aumento desses números aqui, de cada vez mais disseminar notícias sem lastro na ciência que produzem o aumento desses números”, disse o senador Randolfe Rodrigues, vice-presidente da CPI.

Para os senadores, essas empresas têm adotado o posicionamento de excluir conteúdos falsos dos usuários e, por isso, os representantes deverão explicar por que as publicações de Bolsonaro foram mantidas nas redes.

“Recentemente, estamos vendo o movimento de interrupção de exclusão de conteúdos falsos ou desinformativos pelas plataformas da empresa, de modo que é essencial que representante da empresa Facebook, que gerencia uma série de plataformas de compartilhamento de conteúdo, compareça a esta comissão para esclarecer os motivos para a mudança de comportamento”, disse Randolfe ao justificar o pedido de convocação.

A CPI também aprovou um pedido para que o Twitter encaminhe à comissão informações sobre as contas de usuários excluídas a partir de junho deste ano.

Relacionados:

► Câmara aprova texto-base da MP de privatização da Eletrobras► Senado aprova MP que aumenta a tributação sobre o lucro dos bancos

Leia mais: