clique para ir para a página principal

Lira indica deputados Celso Sabino e Luiz Carlos Motta para relatorias da reforma tributária

Atualizado em -

Lira indica deputados Celso Sabino e Luiz Carlos Motta para relatorias da reforma tributária Fábio Rodrigues Pozzebom | Agência Brasil
► Por que a reforma tributária é tão necessária e tão difícil de acontecer?► Guedes anuncia que faixa de isenção do IR passará para R$ 2,5 mil; Governo propõe tributar dividendos

(Agência Câmara) - O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), indicou os deputados Celso Sabino (PSDB-PA) e Luiz Carlos Motta (PL-SP) para as relatorias dos dois projetos da reforma tributária que tramitam na Casa.

Motta será o relator do projeto de lei que institui a Contribuição Social sobre Operações com Bens e Serviços (CBS) em substituição ao Programa de Integração Social (PIS) e à Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (Cofins) (PL 3887/20).

Celso Sabino será o relator da reforma do Imposto de Renda para pessoas físicas, para empresas e investimentos, entregue nesta sexta-feira (25) pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

Mais cedo, Lira afirmou que vai se empenhar para que as reformas sejam aprovadas ainda neste ano na Câmara para ajudar o Brasil a superar a crise econômica e a crise sanitária. Segundo o presidente, a proposta vai garantir simplificação, desburocratização e trazer segurança jurídica para os investimentos no País.

“O otimismo de todos os cenários para o Brasil é impressionante, não podemos, em hipótese alguma, atrapalhar essa rampa de crescimento do PIB, dos empregos, do otimismo, da vontade de vencer para que, rapidamente, com o aumento da vacina, o Brasil possa voltar a conviver junto, e ter justiça tributária, de forma que quem ganha mais, paga mais. Esse é o nosso compromisso”, defendeu o presidente.

Clique aqui e entenda por que a reforma tributária é tão necessária e tão difícil de acontecer.

Relacionados:

► Por que a reforma tributária é tão necessária e tão difícil de acontecer?► Guedes anuncia que faixa de isenção do IR passará para R$ 2,5 mil; Governo propõe tributar dividendos

Leia mais: