clique para ir para a página principal

Hapvida divulga comunicado com atualizações sobre o impacto da Covid-19 em seus atendimentos

Atualizado em -

Hapvida divulga comunicado com atualizações sobre o impacto da Covid-19 em seus atendimentos Divulgação | Hapvida
► Saiba a importância do seguro de vida e como escolher uma seguradora para o seu perfil► Hapvida conclui aquisição da Promed; compra da Santa Filomena é cancelada

A Hapvida (HAPV3) divulgou um comunicado ao mercado nesta segunda-feira (28) com atualizações sobre o impacto da Covid-19 nos seus negócios e as ações adotadas pela companhia.

De acordo com a empresa, nas últimas semanas foi percebido uma redução significativa de atendimentos e internações nas regiões onde atua, após o período crítico que começou no final de 2020, especificamente na cidade de Manaus (AM), e se alastrou para outras regiões do país.

"Os números de atendimentos e internações relacionadas às síndromes respiratórias, incluindo a Covid-19, indicam que a segunda onda está perdendo força. O pico de atendimentos, no dia 8 de março deste ano, atingiu 5.975 consultas de emergência. E o pico de internações, com 237 admissões, foi atingido em 15 de março", destaca em números.

Segundo a Hapvida, em todas as regiões de atuação da companhia, a segunda onda da pandemia atingiu níveis mais altos do que a primeira no Brasil.

A companhia da área de saúde ressalta que para enfrentar a segunda onda ampliou a infraestrutura assistencial com um total de 1.567 leitos exclusivos para hospitalizações por Covid-19 ao final de março e contratou cerca de 3 mil profissionais.

Número de internações recuaram

O operador de planos de saúde verificou em algumas capitais de Estados das regiões Norte e Nordeste, como Manaus (AM), Belém (PA), Fortaleza (CE), Recife (PB) e Salvador (BA), que tanto as curvas de casos de pacientes atendidos nas emergências quanto de pacientes admitidos à internação com suspeita da Covid-19 recuaram.

Atingido mais tardiamente pela segunda onda da pandemia, o interior do Estado de São Paulo também já aponta uma tendência de queda no número de atendimento e internações. Já em Goiânia (GO), segundo a empresa, os atendimentos e internações apresentam "certa estabilidade nas últimas semanas".

Desmobilização de equipes

Neste momento, a empresa começa a desmobilizar equipes e equipamentos em cidades onde a fase mais aguda da pandemia já passou. No entanto, mantém alguma capacidade adicional para qualquer eventual caso de novo aumento nas internações.

Em seu texto, a Hapvida afirma ainda que mantém investimentos em tecnologia para o atendimento digital (telemedicina), "que se mostrou bem-sucedida e foi avaliada pelos usuários como a melhor do Brasil".

"Estamos confiantes que com o avanço da vacinação, o volume de internações e óbitos pela Covid-19 seja reduzido de forma significativa. Toda a nossa experiência de gestão médico-hospitalar tem nos ajudado a administrar e minimizar os impactos da Covid-19 em nossas operações e continuar cuidando dos nossos clientes e colaboradores com o acolhimento de sempre", finalizou a companhia em seu informe.

Relacionados:

► Saiba a importância do seguro de vida e como escolher uma seguradora para o seu perfil► Hapvida conclui aquisição da Promed; compra da Santa Filomena é cancelada

Leia mais: