clique para ir para a página principal

Ibovespa registra desvalorização de 1,72% na semana, mas analistas mantém projeções positivas

Atualizado em -

Ibovespa registra desvalorização de 1,72% na semana, mas analistas mantém projeções positivas Freepik
► Movida anuncia pagamento de R$ 27 milhões em juros sobre capital próprio► Planos de saúde individuais devem ficar 8,19% mais baratos, aponta ANS

Clique e fale com um especialista VLG Investimentos

Clique e fale com um especialista VLG Investimentos

Nesta sexta-feira, a bolsa brasileira está fechada para negociações por conta do feriado da Revolução Constitucionalista em São Paulo. No último pregão, o Ibovespa fechou em forte queda de 1,25% (125.427 pontos) após a alta de 1,54% na véspera e a baixa de 1,44% na terça-feira. Com isso, o índice acumulou uma desvalorização de 1,72% desde o início da semana, que foi marcada pelos ruídos políticos e pelas preocupações com o avanço da variante delta do coronavírus, que levou países da Ásia a retomarem medidas de restrição.

Mesmo com o cenário mais volátil, muitas casas de análise não mudaram as suas projeções para o Ibovespa. Jennie Li, estrategista da XP, destaca manter a projeção do Ibovespa a 145 mil pontos ao final do ano. Já o dólar comercial encerrou o pregão em alta de 0,29% a R$ 5,224 na compra e R$ 5,255 na venda, após ter flertado com os R$ 5,30 na máxima do dia (a R$ 5,295). A redução da alta veio depois que o Banco Central fez seu primeiro leilão de swaps desde março.

Enquanto isso, o ambiente político no país segue bastante tumultuado, com novos desenvolvimentos negativos para o governo na CPI da Covid e indicações de que o empresariado se opõe ao atual texto da reforma tributária, o que deve amplificar o efeito da aversão ao risco global, apontou Rosa, economista da SulAmérica. Ainda sobre a CPI, hoje será ouvido o servidor do Ministério da Saúde William Amorim Santana, técnico da Divisão da Importação da pasta que apontou problemas em um documento da compra da vacina Covaxin, produzida pelo laboratório indiano Bharat Biotech e representada no Brasil pela empresa Precisa.

Internacional

Sobre as bolsas mundiais, os índices futuros Dow Jones e Nasdaq indicam altas de 0,61% e 0,37%, respectivamente, enquanto o índice futuro Nasdaq indica queda de 0,03%. Os índices americanos tiveram quedas expressivas em meio às preocupações com a retomada econômica global. O movimento se consolidou depois que o governo do Japão declarou novamente situação de emergência em Tóquio, que perdurará até 22 de agosto para conter uma nova onda de infecções por coronavírus.

Na agenda dos EUA, o número de pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos na semana encerrada em 3 de julho aumentou para 373 mil, segundo dados com ajustes sazonais publicados pelo Departamento do Trabalho americano. Esse é um possível indício de que o rápido crescimento do emprego visto no primeiro semestre de 2021 poderia enfrentar obstáculos nos próximos meses.

Analistas consultados pela Refinitiv projetavam um número menor de pedidos, 350 mil. Esse indicador é divulgado com uma semana de atraso. Neste cenário ainda de cautela sobre o ritmo de recuperação da atividade, o rendimento do título do Tesouro dos EUA de 10 anos cai para 1,25%, menor valor desde fevereiro. Na Ásia, o índice Hang Seng, de Hong Kong, avançou 0,7%; na China continental, o Shanghai composto recuou 0,04%; e no Japão, o Nikkei recuou 0,63%; Na Europa, o índice Stoxx600, que reúne as ações de 600 empresas de todos os principais setores de 17 países europeus, avança 0,96%.

Internacional

Sobre as commodities, o petróleo Brent é negociado com alta de 0,89%, a US$74,78. Os contratos futuros de minério de ferro mais negociados na bolsa de Dalian, para entrega em setembro, fecharam em queda de 3,7%, para 1.163 iuanes (179,25 dólares) por tonelada. Eles caíram 1,6% nesta semana. Os contratos sua quarta queda semanal consecutiva, já que as preocupações com os controles da produção de aço ofuscaram a demanda por matérias-primas siderúrgicas e engoliram os ganhos registrados no início desta semana.

Corporativo

No contexto corporativo, a GPS (GGPS3), por meio de sua subsidiária In-Haus, comprou, por R$ 23 milhões, a Loghis Logística, mostra documento enviado ao mercado nesta quinta-feira (8). A companhia informa, ainda, que pode pagar um valor adicional caso se alcance metas pré-estabelecidas, a ser apurado no período compreendido entre 1º de outubro de 2021 e 30 de setembro de 2022.

Além disso, as companhias de transporte de gás natural TBG, NTS e TAG, partes da recente onda de desinvestimentos da Petrobras (PETR4), anunciaram nesta quinta-feira uma parceria para compartilhamento do marketplace Portal de Oferta de Capacidade (POC), que possuirá gestão rotativa com o comando de uma das empresas a cada cinco anos.

O acordo entre Transportadora Brasileira Gasoduto Bolívia–Brasil, Nova Transportadora do Sudeste e Transportadora Associada de Gás prevê coparticipação administrativa, de desenvolvimento, manutenção e operação da plataforma digital, que também poderá ser acessada por outros agentes da cadeia.

Relacionados:

► Movida anuncia pagamento de R$ 27 milhões em juros sobre capital próprio► Planos de saúde individuais devem ficar 8,19% mais baratos, aponta ANS

Leia mais: