clique para ir para a página principal

Novos BDRs de ETFs possibilitam investidor acessar mercado de ações no Canadá, México e Coreia do Sul

Atualizado em -

Novos BDRs de ETFs possibilitam investidor acessar mercado de ações no Canadá, México e Coreia do Sul Josh Noble
► A carteira de ações do Warren Buffett pode servir como guia para investidores brasileiros?► B3 disponibiliza mais 9 BDRs de ETF para qualquer investidor a partir da próxima segunda (21)

Novos 13 BDRs de ETFs estarão disponíveis a qualquer investidor na bolsa de valores brasileira a partir da próxima segunda-feira (12). Na nova lista estão ativos que oferecem diversificação geográfica através dos mercados de ações do Canadá, da Coreia do Sul, da Suíça, de Hong Kong e do México, entre outros.

Outros BDRs de ETFs - que também fazem parte do novo grupo - têm caráter mais setorial, como foco no setor financeiro americano ou de ações pagadoras de bons dividendos, assim como empresas americanas que privilegiam fatores ESG.

Liberados para qualquer investidor pessoa física a partir de outubro de 2020, os BDRs são emitidos no Brasil, mas representam um ativo emitido por companhias abertas, ou assemelhadas, com sede no exterior. A B3 tem liberado novas listas em grupos destes instrumentos que permitem a exposição a índices globais de ações e renda fixa.

13 novos BRDs de ETFs.JPG

Fonte: B3

Em maio deste ano, os BDRs representavam um estoque de R$ 2,4 bilhões, um forte crescimento comparado aos R$ 143 milhões de dezembro de 2020. De acordo com a B3, o número de investidores também segue crescendo e passou de 419 para 7,6 mil no mesmo período.

[FAÇA SUA INSCRIÇÃO NO CURSO DO MERCADO1M SOBRE COMO COMEÇAR A INVESTIR NA PRÁTICA]

O que é um ETF?

A sigla ETF é a abreviação em inglês de Exchange-Traded Fund. Em sua maioria, esses fundos contam com uma gestão passiva, com taxa de administração mais baixa e buscam replicar índices de mercado, como o Ibovespa, o S&P 500 (índice da bolsa americana) e também índices globais.

Na prática, o investidor faz uma aplicação em um ETF, que é como se fosse uma cesta de ativos, sem precisar acompanhar o desempenho de cada um dos papéis que compõem o investimento. Esse trabalho é feito pela gestora do ativo, que preenche a cesta de modo a ter a rentabilidade atrelada ao índice referência.

Entre as principais vantagens está a facilidade para investir (basta escolher a cesta de ativos que mais lhe agrada) e a possibilidade de começar aplicações com baixos valores. Para entender melhor sobre os ETFs, leia o texto do Mercado1Minuto sobre o tema.

[APRENDA MAIS NA AULA DO MERCADO1M SOBRE COMO COMEÇAR A INVESTIR EM BDRS NA PRÁTICA]

Podcast +Q1Minuto

A ampliação do acesso aos ETFs na bolsa brasileira e as negociações recordes destes ativos atrelados ao dólar já foram o tema central de episódios do podcast +Q1Minuto.

Nos programas, o Sócio e Economista da VLG Investimentos, Leonardo Milane, apontou algumas vantagens da diversificação da carteira dos investidores por conta da abertura do mercado internacional aos brasileiros através da B3.

Relacionados:

► A carteira de ações do Warren Buffett pode servir como guia para investidores brasileiros?► B3 disponibiliza mais 9 BDRs de ETF para qualquer investidor a partir da próxima segunda (21)

Leia mais: