clique para ir para a página principal

Polícia Federal abre inquérito para investigar Bolsonaro

Atualizado em -

Polícia Federal abre inquérito para investigar Bolsonaro José Cruz | Agência Brasil
► Saúde e Educação elaboram protocolo de retorno seguro às aulas► Crise hídrica aumenta em 45% custo da energia para consumidores neste ano

A Polícia Federal (PF) abriu nesta segunda-feira (12) o inquérito para apurar o suposto crime de prevaricação que teria sido cometido pelo presidente Jair Bolsonaro no caso da compra da vacina indiana Covaxin, segundo depoimento do servidor Luís Ricardo Miranda, do Ministério da Saúde, dado na CPI da Covid no Senado.

A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a abertura do inquérito no dia 2 de julho. A notícia-crime foi protocolada no STF pelos senadores Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Jorge Kajuru (Podemos-GO) e Fabiano Contarato (Rede-ES). Segundo Luís Miranda, houve uma pressão incomum de seus superiores para realizar a compra da Covaxin. O servidor também afirmou ter conhecimento de supostas irregularidades no processo.

O inquérito será conduzido pelo Serviço de Inquéritos Especiais (Sinq) da PF, porque Bolsonaro tem foro privilegiado. O prazo inicial para conclusão das investigações é de 90 dias, mas pode ser prorrogado.

Relacionados:

► Saúde e Educação elaboram protocolo de retorno seguro às aulas► Crise hídrica aumenta em 45% custo da energia para consumidores neste ano

Leia mais: