clique para ir para a página principal

Bolsonaro diz que vai vetar aumento de recursos do fundo partidário

Atualizado em -

Bolsonaro diz que vai vetar aumento de recursos do fundo partidário Marcelo Camargo
► Congresso aprova LDO com fundo eleitoral de R$ 5,7 bilhões ► Oposição entra com Adin no STF contra lei que permite privatização da Eletrobras

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (19) que vai vetar o aumento aprovado por deputados e senadores para o fundo partidário em 2022. Na última semana, os parlamentares aprovaram a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) com a destinação de R$ 5,7 bilhões para o fundo partidário, quase o triplo do que foi distribuído nas últimas eleições, quando os partidos receberam R$ 2 bilhões.

Em entrevista à Rádio Nacional da Amazônia, Bolsonaro afirmou que "a tendência nossa é não sancionar isso daí em respeito aos trabalhadores, ao contribuinte brasileiro”.

" Posso adiantar para você que não será sancionada. Eu tenho que conviver em harmonia com o Legislativo. E nem tudo que eu apresento ao Legislativo é aprovado e nem tudo que o Legislativo aprova, vindo deles, eu tenho obrigação de aceitar para o lado de cá", disse o presidente.

No domingo (18), Bolsonaro já tinha adiantado que o tema era uma "casca de banana" colocada para votação dentro da LDO.

Voto impresso

Nesta segunda, o presidente falou com apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada e admitiu que o voto impresso não deve ser aprovado na Câmara dos Deputados. O tema é uma das bandeiras defendidas pelo governo e, na última semana, os deputados adiaram a análise da proposta para depois do recesso, no início de agosto.

"Eu não acredito mais que passe na Câmara o voto impresso, tá? A gente faz o possível. Vamos ver como é que fica aí", afirmou Bolsonaro.

Relacionados:

► Congresso aprova LDO com fundo eleitoral de R$ 5,7 bilhões ► Oposição entra com Adin no STF contra lei que permite privatização da Eletrobras

Leia mais: