clique para ir para a página principal

Confiança da indústria cresce, mas otimismo desacelera

Atualizado em -

Confiança da indústria cresce, mas otimismo desacelera Freepik
► Dez de 13 setores da indústria já retomaram nível anterior à pandemia► Confiança da construção atinge maior nível desde março de 2014; Inflação da construção civil cai

A confiança da indústria manteve a trajetória de crescimento no mês de julho, mas o otimismo desacelerou em relação aos períodos anteriores. O Índice de Confiança da Indústria (ICI), medido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), subiu 0,8 ponto em julho para 108,4 pontos, maior valor desde janeiro (111,3 pontos). Em médias móveis trimestrais, o índice subiu 1,6 ponto.

Apesar de manter o avanço, a FGV aponta que há uma desaceleração do otimismo.

“A confiança da indústria avança pelo terceiro mês consecutivo influenciadas por uma acomodação das avaliações sobre o momento em patamar alto mas com desaceleração do otimismo das empresas em relação aos próximos meses. As empresas ainda enfrentam um cenário de escassez de insumo possibilidade de racionamento energético e alta incerteza econômica que tendem a limitar uma alta mais expressiva da confiança nos próximos meses”, afirma Claudia Perdigão, economista do FGV IBRE.

De acordo com os dados divulgados nesta quarta-feira (28), o resultado de julho foi influenciado por uma acomodação da situação atual e melhora do otimismo em relação aos próximos meses. Após cinco quedas consecutivas, o Índice Situação Atual (ISA) subiu pela segunda vez variando 0,5 ponto, para 111,8 pontos. O Índice de Expectativas (IE) subiu 0,9 ponto para 104,9 pontos, o terceiro mês de alta consecutiva. Ambos retornam ao patamar de janeiro deste ano.

Relacionados:

► Dez de 13 setores da indústria já retomaram nível anterior à pandemia► Confiança da construção atinge maior nível desde março de 2014; Inflação da construção civil cai

Leia mais: