clique para ir para a página principal

IPOs no Brasil já movimentaram mais de R$ 57 bilhões neste ano, aponta Bloomberg

Atualizado em -

IPOs no Brasil já movimentaram mais de R$ 57 bilhões neste ano, aponta Bloomberg Divulgação | B3
► Pandemia altera hábitos de investidores; Somente em junho, B3 captou R$ 20 bilhões com IPOs► Raízen faz maior IPO do ano; ações começam a ser negociadas na quinta

As empresas brasileiras entraram de vez na bolsa de valores. Segundo levantamento da Bloomberg, já aconteceram 42 listagens de empresas na B3 até agora, movimentando mais de R$ 57 bilhões. O número é recorde e ultrapassa os bons índices de 2007, quando 60 empresas abriram seu capital e levantaram R$ 53,6 bilhões.

Segundo a Bloomberg, "a combinação de taxas de juros historicamente baixas no Brasil, uma recuperação econômica para a principal economia da América Latina após a crise da Covid e um setor de gestão de dinheiro local em expansão abriu o caminho para um aumento acentuado nas ofertas públicas iniciais".

bloomberg.jpg

Os IPOs realizados até o dia 04 de agosto representam avanço de mais de 400% em relação ao mesmo período de 2020, em comparação com um aumento de cerca de 110% para empresas sediadas nos EUA. Os números excluem veículos com cheque em branco.

Uma das últimas empresas a realizarem oferta pública inicial de ações (IPO) na B3 foi a Clearsale (CLSA3), que atua no mercado de soluções antifraude digital para segmentos como e-commerce, mercado financeiro, vendas diretas, telecomunicações e seguros. Precificadas a R$ 25 na oferta, as ações da companhia dispararam 20% logo na abertura, indo aos R$ 30.

Durante a cerimônia do IPO da Clearsale, no fim de julho, o CEO da B3, Gilson Finkelsztain falou dos números importantes alcançados pela bolsa em 2021.

“Estamos muito felizes em receber a ClearSale aqui na B3 e ver aumentar o número de empresas listadas na bolsa do Brasil. E hoje a festa é ainda maior porque chegamos à marca de 40 IPOs no ano, mostrando que o mercado de capitais entrou em definitivo no radar das empresas brasileiras interessadas em expandir suas atividades e encontram aqui na bolsa uma opção atrativa para captação de recursos”, disse Gilson Finkelsztain.

Nesta terça-feira (03), a Raízen (RAIZ4) fez o maior IPO do ano e precificou sua oferta inicial de ações a R$ 7,40 por papel, movimentando um total de R$ 6,9 bilhões. As ações da empresa começam a ser negociadas na quinta (05).

Relacionados:

► Pandemia altera hábitos de investidores; Somente em junho, B3 captou R$ 20 bilhões com IPOs► Raízen faz maior IPO do ano; ações começam a ser negociadas na quinta

Leia mais: