clique para ir para a página principal

Semana termina com noticiário político movimentado e expectativa por relatório de emprego nos EUA

Atualizado em -

Semana termina com noticiário político movimentado e expectativa por relatório de emprego nos EUA Anna Nekrashevich | Pexels
► Presidente Jair Bolsonaro escolhe Bruno Bianco para chefiar Advocacia-Geral da União ► BK Brasil reduz prejuízo no 2T21 e registra salto de 94% na receita líquida

Clique e fale com um especialista VLG Investimentos

Clique e fale com um especialista VLG Investimentos

Nesta sexta-feira, a sessão é de estabilidade para as bolsas mundiais, com os investidores à espera do relatório de emprego nos EUA.

Por aqui, os noticiários políticos e corporativos seguem bastante movimentados. Os riscos fiscais aumentam, com novo temor após o Senado aprovar a reabertura do Refis, o programa de parcelamento de débitos tributários, com perdão de até 90% de multas e 12 anos para pagar.

Além disso, atenção para o conflito entre os Poderes Executivo e Judiciário, após o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, cancelar na véspera a reunião dos chefes dos Três Poderes. Esses fatores contribuem para a aversão ao risco para o Brasil, com impacto na Bolsa e no câmbio, após uma sessão em que o Ibovespa fechou com leve perdas depois de chegar a subir mais de 1% no intraday.

Cabe destacar que o Ibovespa Futuro acelerou perdas depois do fechamento do pregão regular e recuou 0,75% a 121.100 pontos depois da notícia. Mais cedo, o índice à vista havia fechado em leve baixa de 0,14% a 121.632 pontos.

No noticiário corporativo, a temporada de balanços conta com a repercussão dos números da Cia. Hering, BK Brasil, Tenda, Eneva, JHSF, entre outras companhias.

Internacional

Sobre as bolsas mundiais, nos EUA os índices futuros Dow Jones e S&P 500 indicam altas de 0,07% e 0,04%, respectivamente, enquanto o índice futuro Nasdaq indica queda de 0,11%. Na quinta, os índices futuros americanos encerraram a sessão com resultado positivo. O S&P 500 avançou 0,6%; o Dow subiu 0,78%; e o Nasdaq Composto subiu 0,78%.

Até o momento na semana, o Dow sobe 0,4%; o S&P, 0,77%; e o Nasdaq, 1,5%. Na quinta, foi divulgado o número de novos pedidos de seguro-desemprego na semana, de 385 mil, em linha com a expectativa do mercado.

Para esta sexta, a expectativa de economistas ouvidos pela Dow Jones é de que o relatório de emprego, que será divulgado às 9h30, deverá indicar adição de 845 mil empregos à economia americana em julho. Mas as previsões vão de 350 mil novos empregos a 1,2 milhão de empregos adicionados, um indício de que há incerteza em relação ao indicador. Já o consenso Refinitiv aponta para 870 mil vagas criadas e taxa de desemprego a 5,7%. No segundo trimestre, a média foi de adição de entre 500 mil e 600 mil empregos por mês.

Um patamar próximo a isto poderá ser encarado como sinal de continuidade da recuperação da economia dos Estados Unidos com vacinação, redução de mortes e novos casos de contaminação por coronavírus, e relaxamento de medidas restritivas no país. Os números do relatório de emprego têm o potencial de pautar a política futura do Federal Reserve, e são acompanhados também na Ásia.

Outro assunto que vêm influenciando os mercados na região é a aceleração de novos casos de Covid. Na China continental, o Shanghai composto caiu 0,24%; em Hong Kong, o índice Hang Seng teve alta de 0,1%; no Japão, o Nikkei avançou 0,33%; na Coreia do Sul, o Kospi caiu 0,18%. Na Europa, os principais índices têm leves quedas nesta sexta, com destaque positivo para papéis do setor de seguros, e negativo para o de viagem e lazer.

Na quinta, o Banco da Inglaterra manteve sua política monetária inalterada, mas alertou para inflação mais forte no curto prazo. Além disso, dados divulgados na sexta pelo Escritório de Estatísticas Federal indicam queda inesperada de 1,3% na produção industrial em junho na Alemanha, o segundo recuo consecutivo.

Brasil

No Brasil, o último pregão acionário encerrou com queda de 0,14%, aos 121.632 pontos. Como destaque, as rusgas institucionais e os riscos fiscais seguem no radar dos investidores. Na véspera, o Ibovespa Futuro acelerou perdas depois do fechamento do pregão regular e recuou 0,75% a 121.100 pontos depois da notícia de que o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, cancelou a reunião dos chefes dos Três Poderes.

Mais cedo, o índice à vista havia fechado em leve baixa de 0,14% a 121.632 pontos. Ainda ontem, a Câmara aprovou o texto do projeto de lei que permite a privatização dos Correios. A proposta agora caminha para discussão no Senado.

Commodities

Sobre as commodities, o petróleo Brent é negociado com alta de 1,46% a US$72,33 o barril. Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian com queda de 1,27%, cotados a 895 iuanes, equivalente hoje a US$ 138,38 (nas últimas 24 horas).

Corporativo

No contexto das corporações, na quinta, o Tribunal de Contas da União (TCU) afirmou em nota que verificou risco ao pleno abastecimento de todos os mercados regionais de combustíveis, tendo em vista os desinvestimentos da Petrobras. O órgão federal disse que as vendas de ativos da petroleira estatal também colocam em risco desenvolvimento e a reorganização do mercado de refino de petróleo no Brasil.

As conclusões ocorreram após auditoria de natureza operacional para verificar como o governo federal tem atuado para reorganizar o mercado nacional de refino, tendo em vista o plano de venda de ativos da empresa.

Também na quinta, o presidente da Petrobras, general da reserva Joaquim Silva e Luna, afirmou que a estatal pretende continuar o processo de desalavancagem. Ele afirmou que os resultados apresentados na quarta pela empresa “são frutos da decisão da companhia de continuar seguindo os mais altos padrões éticos de governança e de fidelidade ao seu plano estratégico. Seguiremos a trajetória de sustentabilidade financeira, geração de valor e desalavancagem”.

Também como destaque, a Eneva aumentou em 38% o seu lucro líquido no segundo trimestre, para R$ 118,1 milhões, com impulso de uma antecipação de despachos de suas térmicas, que foram chamadas a produzir antes devido à seca que afeta a geração hidrelétrica do país. A geração de caixa medida pelo lucro Ebitda ajustado da Eneva cresceu 35% na comparação com o segundo trimestre de 2020, para R$ 377,5 milhões, enquanto a receita operacional líquida saltou 85,6%, para R$ 962,5 milhões.

A gestora de shoppings e empreendimentos imobiliários de alto padrão JHSF informou na quinta que seu lucro de abril a junho somou R$ 321,4 milhões, um aumento de 26,4% ante mesma etapa do ano passado. O resultado operacional do período medido pelo lucro antes de impostos, juros, depreciação e amortização (Ebitda) somou R$ 422,4 milhões, alta ano a ano de 22%. A margem Ebitda ficou em 75,5%.

A elétrica Engie Brasil Energia reportou na quinta-feira lucro líquido de R$ 319 milhões no segundo trimestre de 2021, queda de 58,4% em relação a igual período do ano passado, em resultado impactado por um impairment de R$ 163 milhões pelo ajuste do valor contábil do complexo termelétrico Jorge Lacerda. O lucro Ebitda ajustado atingiu R$ 1,53 bilhão no trimestre até junho, alta de 19,7% na comparação com mesma etapa de 2020.

A Cia Hering anunciou na quinta-feira que sua receita líquida de abril a junho somou R$ 353,2 milhões, um salto de 197,2% ante mesma etapa do ano passado, quando governos baixaram fortes restrições sociais para conter a pandemia da Covid-19, inclusive o fechamento de lojas por meses. Porém, o lucro líquido do trimestre, de R$ 7,1 milhões, foi bastante inferior ao de um ano antes, quando tinha atingido R$ 126,9 milhões, beneficiado pelo reconhecimento de um crédito judicial ligado a um processo fiscal.

Por fim, o banco ABC Brasil divulgou nesta manhã lucro líquido de R$ 136,3 milhões no segundo trimestre de 2021, crescimento de 11,4% em relação ao trimestre anterior e de 121,3% em relação ao mesmo período de 2020. No semestre, houve crescimento de 81,4% em relação ao mesmo período de 2020. Depois do fechamento, serão divulgados os dados da M.Dias Branco.

Relacionados:

► Presidente Jair Bolsonaro escolhe Bruno Bianco para chefiar Advocacia-Geral da União ► BK Brasil reduz prejuízo no 2T21 e registra salto de 94% na receita líquida

Leia mais: