clique para ir para a página principal

Maior plataforma de negociação de criptoativos dos EUA compra US$ 500 milhões em criptos

Atualizado em -

Maior plataforma de negociação de criptoativos dos EUA compra US$ 500 milhões em criptos Shutterstock
► Mercado Bitcoin aguarda estreia da Coinbase na Nasdaq e analisa IPO no Brasil► ETFs de Ethereum chegam na B3; Como investir em criptomoedas com mais segurança?

Nesta sexta-feira (20), a Coinbase, maior plataforma de negociação de Bitcoins e outros criptoativos nos Estados Unidos, confirmou ter investido US$ 500 milhões do próprio caixa para a aquisição de criptomoedas.

A companhia informou ainda que passará a aplicar uma parcela de 10% dos lucros trimestrais em criptoativos, para construir uma "carteira de criptos" da própria empresa. Em abril, a Coinbase se tornou a primeira exchange do mundo a listar ações na bolsa de Nasdaq.

De acordo com outro texto da diretora financeira Alesia Haas, veiculado no blog da empresa, os principais interesses da companhia são: Ethereum, ativos baseados em ‘proof of stake’, tokens de DeFi e diversos outros criptoativos.

O CEO da Coinbase, Brian Armstrong, já tinha revelado a estratégia da empresa no início desta semana, afirmando que a alocação em criptos deve crescer conforme o mercado se desenvolva. Armstrong também adiantou a intenção da companhia em diversificar serviços e operações envolvendo criptoativos.

No 2T21, a Coinbase registrou um lucro líquido de US$ 1,6 bilhão - uma aplicação de 4.900% em relação ao mesmo período de 2020. Caso a nova política já tivesse sido implementada neste trimestre passado, isso representaria um investimento inicial de US$ 160 milhões em criptos.

Em maio, a empresa foi avaliada em mais de US$ 100 bilhões e se tornou mais valiosa do que muitas empresas do setor financeiro tradicional. Agora, outras exchanges como FTX e Binance também estão avaliando uma possível abertura de capital.

Relacionados:

► Mercado Bitcoin aguarda estreia da Coinbase na Nasdaq e analisa IPO no Brasil► ETFs de Ethereum chegam na B3; Como investir em criptomoedas com mais segurança?

Leia mais: