clique para ir para a página principal

Volkswagen diminui produção por conta de escassez de chips

Atualizado em -

Volkswagen diminui produção por conta de escassez de chips Divulgação / Volkswagen
► Matéria-prima e insumos estão em falta para quase 70% da indústria; escassez traz reflexos na inflação► Falta de insumos, câmbio e carga tributária comprometem fabricação de veículos no país

Após o anúncio de falta de insumos em março deste ano, a Volkswagen volta a alertar que reduzirá sua produção de veículos por conta da escassez de chips no mercado.

O alerta não é recente e já vem sendo reportado pela empresa desde o início da pandemia. De acordo com a fabricante, não é sobre o esforço das montadoras no aumento da produção e, sim, a falta de peças e componentes que provocam limitações.

Dessa vez, quem anunciou essa redução foi a maior fábrica da Volkswagen, em Wolfsburg (Alemanha), que possui cerca de 60 mil funcionários. Segundo a montadora, a fábrica só retornará a produzir na próxima semana, de segunda a sexta-feira em apenas um turno.

A pausa nas produções aconteceu depois que empresas no Sudeste Asiático, anunciaram suas restrições após surtos de Covid-19 no continente. O prazo de entrega dos chips já passa de 20 semanas, piorando o quadro de escassez das montadoras.

Mesmo que a Volkswagen esteja otimista com a situação até o fim do ano, algumas montadoras já protestaram contra e disseram que a crise dos chips vai se prorrogar até 2022.

Com diversas fábricas de veículos paralisadas na América do Norte, os senadores democratas já solicitaram auxílio ao governo de Taiwan para solucionar a escassez de chips.

Outras empresas também anunciam paralisação

Diferentemente da Volkswagen, a Toyota não chegou a anunciar a sua paralisação na produção de veículos por conta de sua política de estocar chips. A fabricante japonesa tem esse costume por conta do terremoto que ocorreu no país há dez anos.

No entanto, nesta quinta-feira (19), a montadora já anunciou que reduzirá a produção global em 40% em setembro. Essa redução pode afetar as 14 fábricas no Japão e outros locais, inclusive na América do Norte.

A Stellantis (FIAT), também afirmou que irá interromper suas produções em uma fábrica da França na próxima semana. Entretanto, a empresa já havia anunciado a uma paralisação no leste do país.

No começo da semana, a Ford havia anunciado a suspensão temporária na produção da picape F-150, seu produto mais vendido, em Kansas City (Estados Unidos). Já a chinesa Geely Automobile ressaltou que a piora nos casos de Covid-19 e a escassez de chips podem afetar suas vendas nos próximos meses.

Relacionados:

► Matéria-prima e insumos estão em falta para quase 70% da indústria; escassez traz reflexos na inflação► Falta de insumos, câmbio e carga tributária comprometem fabricação de veículos no país

Leia mais: