clique para ir para a página principal

Percentual de famílias com dívidas bate novo recorde e chega a 72,9% em agosto

Atualizado em -

Percentual de famílias com dívidas bate novo recorde e chega a 72,9% em agosto Freepik
► Consumo das famílias cresce 4% no semestre► Combinação de desemprego e inflação elevados faz confiança do consumidor cair em agosto

O número de famílias brasileiras com dívidas aumentou novamente no mês de agosto e bateu um novo recorde mensal, segundo aponta a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). O percentual de famílias endividadas atingiu 72,9% em agosto, alta de 1,5 ponto em relação ao mês de julho.

Já em relação à inadimplência, os números se mantém estáveis entre julho e agosto: um em cada quatro brasileiros (25,6%) afirma não ter conseguido quitar suas dívidas no prazo.

Outro indicador importante que subiu em agosto foi o percentual de famílias que têm mais de 50% da renda mensal comprometida com dívidas. Segundo a CNC, essa proporção chegou a 21,1% do total de famílias endividadas em agosto.

Os principais responsáveis pela alta no endividamento seriam a precariedade do mercado de trabalho formal e a inflação elevada. Em busca de aliviar as contas, o brasileiro busca crédito para investir em pequenas atividades que ajudem no seu sustento. A estratégia, no entanto, precisa ser bem pensada para não se tornar uma armadilha e colocar a família em situação ainda mais difícil.

O Mercado1Minuto mostrou que julho já havia sido um mês de recorde nos percentuais de famílias endividadas, com 71,4%. Naquele mês, a alta no número de famílias endividadas foi de 1,7 ponto percentual em relação ao mês de junho e de 4 pontos em relação a julho do ano passado.

Dívida média é maior que salário mínimo

Na semana passada, o Mapa da Inadimplência do Serasa mostrou que, em média, cada brasileiro que está inadimplente deve cerca de R$ 3.934,38, mais de três vezes o salário mínimo, de R$ 1.100. Cada dívida custa, em média, R$ 1.163,52, segundo os dados de junho deste ano.

No total, os 62,5 milhões de inadimplentes registrados no mês devem R$ 245,9 bilhões. A maior fatia das contas em atraso é de cartão de crédito ou bancos, responsáveis por 28,6% das dívidas. Depois, aparecem dívidas com contas de luz, água e telefone (23,6%), as chamadas "utilities", e em seguida com o varejo (13,1%).

Serasa Limpa Nome

Até o dia 31 de agosto, a Serasa está promovendo o "Feirão Serasa Limpa Nome" para ajudar os brasileiros a pagarem suas dívidas com até 99% de desconto. O evento é feito em com 24 empresas e dá a possibilidade de renegociação de dívidas por parte de clientes. Segundo a Serasa, os acordos são fechados em menos de três minutos.

Para fazer parte do feirão, o usuário deve acessar o site https://www.serasa.com.br/limpa-nome-online.

Relacionados:

► Consumo das famílias cresce 4% no semestre► Combinação de desemprego e inflação elevados faz confiança do consumidor cair em agosto

Leia mais: