clique para ir para a página principal

Petrobras assina contrato para venda da refinaria REMAN por US$ 189,5 mi

Atualizado em -

Petrobras assina contrato para venda da refinaria REMAN por US$ 189,5 mi Divulgação | Petrobras
► Petrobras recebe pagamento de US$ 2,9 bi do acordo de Coparticipação de Búzios► Petrobras anuncia pagamento de R$ 21 bilhões aos acionistas

De acordo com o comunicado divulgado esta quinta-feira (16), a Petrobras (PETR3;PETR4) assinou contrato para venda da refinaria REMAN.

A estatal assinou hoje com a empresa Ream Participações, veículo societário de propriedade dos sócios da Atem’s Distribuidora de Petróleo (Atem), contrato para venda das ações da empresa que deterá a Refinaria Isaac Sabbá (REMAN) e seus ativos logísticos associados, no estado do Amazonas.

O valor da venda é de US$ 189,5 milhões, sendo S$ 28,4 milhões pago na data, com a assinatura do contrato, a título de caução e US$ 161,1 milhões a ser pago no fechamento da operação, que estão sujeitos a ajustes previstos no contrato.

Segundo documento, a operação está sujeita ao cumprimento de condições precedentes, tais como a aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE).

”Até o cumprimento das condições precedentes e o fechamento da transação, a Petrobras manterá normalmente a operação da refinaria e de todos os ativos associados”, afirma a companhia.

A Petrobras ainda acrescentou que, após o fechamento continuará apoiado a Atem as operações da REMAN de forma a preservar a segurança e continuidade operacional durante um período determinado, sob um contrato de transição.

Ainda no comunicado, a companhia destaca que a REMAN é a segunda refinaria a ter o contrato de compra e venda assinado, dentre as oito que estão em processo de venda e que integra o compromisso firmado entre a Petrobras e o CADE em junho de 2019 para a abertura do setor de refino no Brasil.

Relacionados:

► Petrobras recebe pagamento de US$ 2,9 bi do acordo de Coparticipação de Búzios► Petrobras anuncia pagamento de R$ 21 bilhões aos acionistas

Leia mais: