clique para ir para a página principal

Brasil registrou um ataque fraudulento a cada 8 segundos no primeiro semestre do ano

Atualizado em -

Brasil registrou um ataque fraudulento a cada 8 segundos no primeiro semestre do ano Freepik
► Investidores com portfólio mais refinado e diversificado caem menos em fraudes financeiras, aponta CVM► Polícia Federal faz operação contra fraudes com criptomoedas

A Serasa Experian atualizou seu Indicador de Tentativas de Fraude e mostra que o país sofreu uma ação fraudulenta a cada 8 segundos nos primeiros seis meses do ano. O número chegou a 1,9 milhão de ataques no período, o que mostra um aumento de 15,6% em relação ao mesmo período de 2020.

O levantamento traz a visão inédita sobre a idade das pessoas que sofreram os ataques, identificando que esta alta foi puxada principalmente pelas ações contra pessoas de até 25 anos, com crescimento de 19,3%.

Para Jason Reis, Diretor de Soluções de Identidade e Prevenção a Fraudes da Serasa Experian, essa alta nas tentativas de fraude neste ano, se deu por conta da aceleração da digitalização durante a pandemia.

“Houve uma mudança no comportamento dos brasileiros, que passaram a adquirir bens e serviços online, graças às regras de distanciamento social impostas pela pandemia. Portanto, os oportunistas tinham mais transações para tentar acessar dados e recursos. Por isso a importância de ter plataformas robustas que identifiquem essas tentativas e impeçam a ação dos fraudadores”, afirma Jason.

As ocorrências de movimentações suspeitas aconteceram principalmente no setor financeiro neste primeiro semestre; bancos e cartões tiveram 1,2 milhão de tentativas e as financeiras, 205 mil, com variação acumulada de 59,2% e -40,7%. O setor que teve maior crescimento no comparativo entre os semestres de 2020 e 2021 foi o varejo, com alta de 89,5% e 167 mil. Telefonia (-49,0%) e serviços (-19,5%) apresentaram queda, registrando 79 mil e 258 mil tentativas, respectivamente.

Nesta atualização do Indicador de Tentativas de Fraude, a Serasa Experian traz outra informação inédita, desta vez sobre o impacto das movimentações suspeitas nas regiões do país. O Sudeste apresentou o maior acumulado no semestre, com pouco mais de 1 milhão de tentativas, seguido pelo Nordeste (347 mil), Sudeste (300 mil), Centro-Oeste (176 mil) e Norte (120 mil).

De acordo com a pesquisa divulgada pela Serasa Experian, entre as principais tentativas de golpes apontadas pelo indicador, estão: compra de celulares com documentos falsos ou roubados; abertura de conta em banco; emissão de cartões de crédito, compra de automóveis e financiamento de eletrônicos.

Os especialistas em fraude na Serasa Experian alertam que os consumidores fiquem atentos e evitem ter seus dados pessoais expostos. É recomendado que façam transações digitais apenas com empresas de confiança e nunca cliquem em links desconhecido e assim evitar um possível golpe.

Operação de fraude em criptomoedas

Na última quarta-feira (25), a Polícia Federal apreendeu 591 bitcoins, o que equivale aproximadamente R$ 50 milhões de reais, durante a operação Kryptos que cumpriu sete mandados de prisão preventiva, dois mandados de prisão temporária e 15 mandados de busca e apreensão nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Ceará e no Distrito Federal.

Além das criptomoedas, os agentes apreenderam 21 veículos de luxo, diversos relógios de alto valor, joias, celulares e documentos. Além disso, também foi encontrado uma enorme quantidade de dinheiro em espécie na casa de um dos alvos da ação, em condomínio de luxo na Barra da Tijuca, na Zona Oeste da capital fluminense.

O objetivo da operação é desarticular uma organização criminosa responsável por fraudes bilionárias envolvendo criptomoedas. Segundo a própria Polícia Federal, tudo indica que esta será a maior apreensão de criptomoedas e valores em espécie.

Relacionados:

► Investidores com portfólio mais refinado e diversificado caem menos em fraudes financeiras, aponta CVM► Polícia Federal faz operação contra fraudes com criptomoedas

Leia mais: