clique para ir para a página principal

Guidance: qual a importância dessa projeção?

Atualizado em -

Guidance: qual a importância dessa projeção? Shutterstock
► Copom mantém taxa básica de juros da economia em 2% na primeira reunião do ano► B3 se aproxima dos 3,8 milhões de investidores; Como fazer parte deste grupo e rentabilizar seu patrimônio?

A prática consiste em situar os investidores sobre as previsões e projeções da companhia a respeito dos seus próprios resultados financeiros. Segundo o próprio nome sugere (em português, significa "orientação"), o guidance é um conjunto de estimativas e informações futuras que uma empresa fornece sobre si mesma para o mercado.

Normalmente, é veiculado acompanhado dos relatórios trimestrais ou na demonstração financeira anual da companhia. Com o intuito de manter uma proteção legal, as empresas sempre ressaltam que cada projeção é baseada em circunstâncias possíveis e que não contam com garantias de realização.

É comum as empresas contarem com equipes internas especializadas na construção do guidance. São elas responsáveis pelo levantamento das informações (administrativas, contábeis e financeiras, entre outras), leitura do cenário atual e acompanhamento dos fatores externos ao objeto do comunicado.

Vale ressaltar que a divulgação do guidance pode influenciar diretamente em avaliações dos investidores e analistas de mercado a respeito de decisões sobre manter, comprar ou vender uma ação. Como consequência imediata das previsões, pode ocorrer uma alteração no preço dos papéis.

Como instrumento de transparência corporativa, podem ser apresentadas as seguintes informações num guidance:

  • Projeções de margens e lucros futuros;
  • Projeções de faturamentos e receitas futuras;
  • Previsão de volume de vendas;
  • Previsão de investimentos;
  • Previsão de custos e despesas;
  • Indicadores operacionais e financeiros (fluxos de caixa descontados, produtividade, evolução patrimonial, expansão de negócios, entre outros).

Apesar de não haver nenhuma lei brasileira que obrigue a prática do guidance, um levantamento do Instituto Brasileiro de Relações com Investidores (Ibri) apontou que 76% das empresas de capital aberto no Brasil (com valor acima de R$ 1 bilhão) divulgam algum tipo de orientação a respeito dos seus negócios periodicamente.

Através do compartilhamento desse tipo de relatório todo o mercado tem acesso a informações mais completas a respeito do planejamento do negócio das empresas, ajudando a diminuir o risco dos investimentos e a aumentar o número de interessados, além de diminuir e volatilidade das ações.

Nos Estados Unidos, por exemplo, o guidance é a única forma legal pela qual empresas podem comunicar suas perspectivas ao mercado financeiro. Desta forma, garante a igualdade no acesso aos dados para todos os investidores, sem privilégio de informações.

Banco Central

O Banco Central (BC) também se utiliza do termo em alguns de seus comunicados com previsões econômicas, após reuniões do Copom (Comitê de Política Monetária).

Por vezes, a autoridade monetária informa que decidiu pela retirada do "Forward Guidance" - a orientação futura do BC de não aumentar a taxa básica de juros no curto prazo.

Além da previsibilidade da taxa de juros, é através do Forward Guidance que o Bacen apresenta suas estratégias para garantir o cumprimento de suas metas e lista possíveis fatos que podem levar a mudanças no plano macroeconômico.

Relacionados:

► Copom mantém taxa básica de juros da economia em 2% na primeira reunião do ano► B3 se aproxima dos 3,8 milhões de investidores; Como fazer parte deste grupo e rentabilizar seu patrimônio?

Leia mais: