clique para ir para a página principal

Exportação de carne bovina cresce 11% no Brasil após três meses de queda

Atualizado em -

Exportação de carne bovina cresce 11% no Brasil após três meses de queda GettyImages
► Brasil quer exportar 6% mais carne bovina em 2021, afirma Abiec► Minerva Foods e Marfrig emitem comunicados sobre suspensão de exportação de carne para a China

Segundo a Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo), após três meses seguidos de queda, a exportação de carne bovina pelo Brasil voltou a crescer em agosto, para 211,8 mil toneladas. De acordo com a entidade, essa foi a primeira vez que o Brasil ultrapassou 200 mil toneladas exportadas em um único mês.

Em relação à receita, as vendas tiveram um aumento de 56%, representando US$ 1,175 bilhão. Apesar de uma alta de 15% no comércio, no acumulado do ano até agosto, as exportações totais ainda caem 1% em relação a 2020.

De acordo com a Abrafrigo, o Brasil usou ao seu favor a diminuição da oferta no mercado internacional com a diminuição das exportações argentinas, por conta da política de combate à inflação local. Além disso, o país também fez jus da escassez dos rebanhos australianos, onde o setor ainda não teve uma recuperação devido a secas e enchentes.

Casos de vaca louca no Brasil

A queda recente das exportações bovinas no Brasil se deu por conta dos casos do mal da vaca louca em frigoríficos de Belo Horizonte e de Nova Canaã do Norte (MT). No sábado (04) da semana passada, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) confirmou as ocorrências.

De acordo com a pasta, após tal confirmação, a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) foi notificada. A partir disso, devido ao protocolo sanitário firmado entre a China e o Brasil, ficaram suspensas temporariamente as exportações de carne bovina entre os países.

Segundo a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec), a China ainda é o principal país de exportação de carne bovina brasileira. No mês de julho deste ano, o volume total de exportação foi de 91.144 toneladas, crescimento de 11,2%.

"As receitas tiveram alta de 19,1% e somaram US$ 525,5 milhões. Quando se observa o período de janeiro a julho de 2021, os embarques para a China já somam 490 mil toneladas e receitas de US$ 2,493 bilhões, crescimento de 8,6% e 13,8%, respectivamente, no comparativo com o mesmo período de 2020", ressalta a Abiec.

Relacionados:

► Brasil quer exportar 6% mais carne bovina em 2021, afirma Abiec► Minerva Foods e Marfrig emitem comunicados sobre suspensão de exportação de carne para a China

Leia mais: