clique para ir para a página principal

Vendas do comércio crescem 1,2% em julho e atingem nível recorde

Atualizado em -

Vendas do comércio crescem 1,2% em julho e atingem nível recorde Senivpetro/Freepik
► PIB deve crescer acima de 5% este ano, diz Ministério da Economia► PRF libera 35 pontos de bloqueio de caminhoneiros

De acordo com dados divulgados nesta sexta-feira (10), pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), as vendas do comércio varejista brasileiro cresceram 1,2% em julho, em comparação ao mês anterior.

Essa foi a quarta alta consecutiva do indicador, que atingiu patamar recorde da série histórica da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), iniciada em 2000.

No acumulado do ano, o comércio registra crescimento de 6,6% e nos últimos doze meses, a alta é de 5,9%, 1,1% na média móvel trimestral e em comparação a julho de 2020, a alta foi 5,7% de acordo com a PMC.

A receita nominal também apresentou alta de 2,2% na comparação com junho deste ano, 1,5% na média móvel trimestral, 19,7% em relação ao mesmo período de 2020, de 18,6% no acumulado do ano e de 15,7% no acumulado de 12 meses.

Segmentos

Em julho, cinco das oito atividades pesquisadas apresentaram alta nas vendas; outros artigos de uso pessoal e doméstico (19,1%), tecidos, vestuário e calçados (2,8%), equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (0,6%), supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (0,2%) e artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (0,1%).

”Vemos uma trajetória de recuperação dessa atividade, que acaba por fazer grandes promoções e aumentar a sua receita bruta de revenda, num novo momento de abertura e maior flexibilização do isolamento social, o que gera maior aumento da demanda”, explica Cristiano Santos, gerente responsável pela pesquisa.

Em contrapartida, perderam ritmo e reduziram o volume de vendas as atividades que envolvem livros, jornais, revistas e papelaria (-5,2%), móveis e eletrodomésticos (-1,4%) e combustíveis e lubrificantes (-0,3%).

Varejo ampliado

O varejo ampliado teve alta de 0,7% na média móvel trimestral, 7,1% na comparação com julho do ano passado, 11,4% no acumulado do ano e de 8,4% no acumulado de 12 meses.

Além das outras oito atividades, o varejo ampliado inclui materiais de construção e veículos, a alta de junho para julho foi de 1,1% no volume de vendas. O setor de veículos, motos, partes e peças subiu 0,2% entre junho e julho, enquanto material de construção teve uma variação negativa de 2,3% pelo segundo mês consecutivo.

Relacionados:

► PIB deve crescer acima de 5% este ano, diz Ministério da Economia► PRF libera 35 pontos de bloqueio de caminhoneiros

Leia mais: