clique para ir para a página principal

Cresce o número de jovens que investem no mercado financeiro

Atualizado em -

Cresce o número de jovens que investem no mercado financeiro Karolina Grabowska/Pexels
► Índice de uso da Internet aumenta durante pandemia, diz pesquisa► FinTwit e FinTok crescem e atraem novos investidores

Clique e fale com um especialista VLG Investimentos

Clique e fale com um especialista VLG Investimentos

Com a incerteza na economia brasileira causada pela pandemia da Covid-19, muitos jovens começaram a investir no mercado financeiro para tentar complementar a renda familiar.

Hoje em dia, a necessidade de administrar o próprio dinheiro para garantir a independência financeira começa cada vez mais cedo. Uma pesquisa divulgada no mês passado pela B3, mostrou que, no final do primeiro semestre deste ano, mais de 10% dos investidores que entraram na bolsa, até então, têm entre 19 e 24 anos.

Esse aumento se deu por conta das novas ferramentas de educação financeira que surgiram na internet nos últimos anos. Canais do YouTube, como o Mercado1Minuto, perfis no Instagram, TikTok e Twitter de investidores, corretoras e especialistas voltados para investimento e finanças pessoais, são os veículos mais utilizados entre os jovens para aprender sobre o mercado financeiro.

Pensando na integração dos jovens no mercado financeiro, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e o Ministério da Educação (MEC), além de anunciarem um convênio para capacitar professores de escolas públicas a ensinarem educação financeira aos alunos, também comunicaram o lançamento de um perfil no TikTok para atrair o interesse do jovem para educação sobre finanças e investimentos.

"O TikTok é uma rede social dinâmica e que se juntará aos perfis educacionais nas demais mídias sociais, mas com um foco específico para os mais jovens. No novo perfil, será possível encontrar vídeos rápidos e com informações precisas, com a credibilidade da Autarquia", diz o superintendente de proteção e orientação aos investidores (SOI) da CVM, José Alexandre Vasco.

Comece a investir cedo

Os investimentos para jovens estão em constante ascensão, sendo cada vez mais procurados por estudantes ou profissionais que estão entrando no mercado de trabalho.

Quando se fala em dinheiro, é fundamental saber o que fazer para que isso não se torne um problema. Dar os primeiros passos no mundo das finanças pode parecer desafiador, mas o tempo é um dos fatores mais importantes para os jovens.

Para Carolina Cipriani, especialista em planejamento financeiro e patrimonial da VLG Seguros, os jovens que geralmente iniciaram os investimentos agora, estão no início da carreira e, consequentemente, contam com uma renda mais baixa além da dependência financeira dos pais.

Por outro lado, isso se torna um ponto positivo, pois também possuem uma despesa mensal bem menor e podem aproveitar um tempo maior de acúmulo.

”Uma pessoa com 22 anos até os 65 anos aportando R$ 50 por mês, a uma estimativa de rendimento de 8% ao ano, vai ter acumulado um montante superior a R$ 200 mil. Uma com 32 anos até 65 anos, com as mesmas condições, acumula pouco mais de R$ 90 mil, ou seja, uma diferença de R$ 110 mil. E estamos falando de valores que provavelmente podem caber no bolso dos jovens”, explica Carolina Cipriani.

Muitas aplicações podem não trazer retorno em curto prazo e, justamente por isso, começar a investir, mesmo com pouco, é fundamental para um futuro promissor e com maiores conquistas.

”Eu nunca ouvi ninguém me falar que gostaria de começar a guardar dinheiro mais tarde. Hoje a gente vive um processo de educação financeira no Brasil e isso já é pauta nas conversas dos jovens que não têm acesso nas escolas. Este assunto já faz parte de uma discussão para a inclusão da matéria de educação financeira no currículo escolar”, destaca Leticia Prata, também especialista em planejamento financeiro e patrimonial da VLG Seguros.

Começar a investir enquanto jovem irá fazer total diferença no futuro. Além de garantir tranquilidade financeira, poupar possibilita a realização de sonhos materiais. Se, há algum tempo, essas eram preocupações que surgiam apenas a partir de uma certa idade, hoje em dia, a necessidade para garantir independência financeira inicia cada vez mais cedo.

”A ideia é que você comece a poupar aos poucos. Não deixe para amanhã, porque lá na frente isso irá trazer muitos benefícios. Quanto antes você começar, menor será o seu esforço”, finaliza Leticia Prata.

Relacionados:

► Índice de uso da Internet aumenta durante pandemia, diz pesquisa► FinTwit e FinTok crescem e atraem novos investidores

Leia mais: